Póvoa de Lanhoso

Póvoa de Lanhoso acolhe 3ª Residência Artística de EcoArte

Redação
Escrito por Redação

O Município da Póvoa de Lanhoso  promove, de 15 a 19 de julho de 2019, a 3ª edição da Residência Artística de EcoArte.

A apresentação desta iniciativa realizou-se na manhã desta sexta-feira, 5 de julho, no Parque do Pontido, uma zona verde, que é também o local que acolhe os 13 artistas participantes, provenientes de vários pontos do país e do estrangeiro, o que continua a oferecer a esta iniciativa um cariz internacional.

Para o presidente da Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso, Avelino Silva, “a ecoarte é uma forma de promoção da cultura através da arte dos participantes, associada ao meio ambiente e à natureza. Este ano, o local escolhido foi o recém-ampliado Parque do Pontido. Um belo exemplo da preocupação deste executivo com a criação de espaços de lazer e de preservação e ampliação de locais de contacto com a natureza, promovendo o bem-estar e a saúde dos Povoenses e de quem nos visita. Esta é uma preocupação que se alarga com a rede de água e saneamento, que estamos a concluir”.

Nesta nova edição, a Câmara Municipal da Póvoa de Lanhoso propõe uma descentralização da iniciativa através da dinamização do evento no Parque do Pontido (em vez do Parque do Carvalho de Calvos), um espaço verde e agradável enriquecido por equipamentos de utilidade pública que estabelece uma relação entre a população e o Ribeiro do Pontido.

O vereador do Ambiente, André Rodrigues, notou que o local escolhido é muito visitado, permitindo às pessoas ver com mais proximidade aquilo que é feito com materiais naturais e com a reutilização de materiais. “O grande objetivo da residência artística, é trazer artistas povoenses, nacionais e internacionais, como já tivemos em todas as edições, tê-los cá uma semana e fazer com que deixem um bocadinho do saber deles na nossa terra. Essa troca de conhecimentos é que é importante”, salientou.

Nesta apresentação, estiveram Milita Marinho, uma das artistas que vai participar, pela segunda vez, considerou o novo local até mais inspirador e mais aberto do que o das anteriores edições. Esteve também Raquel Castro, que participa pela primeira vez, e que já tem em mente aquilo que pretende elaborar ao longo dos cinco dias da residência artística. Estiveram ainda crianças que participam no programa municipal de ocupação de tempos livres – Férias Ativas -, mas que também vão participar nesta residência artística.

Ana Brandão, Artur Martins, Gustavo Romeiro, Joana Fernandes, Manuela Caneco, Maria Goes, Matilde Goes, Milita Marinho, Pedro Migueis, Raquel Castro, Rosa Simões e Simão Gomes são os artistas inscritos.

Tal como nas edições anteriores, também desta vez os trabalhos serão desenvolvidos ao ar livre, permitindo que a população acompanhe a evolução de cada criação. No final, as instalações artísticas resultantes ficarão no local, podendo ser fruídas pela comunidade.

De entre outros apoios, o Município assegura às pessoas participantes os materiais orgânicos necessários para a elaboração da obra de Ecoarte assim como oferece a alimentação aos participantes durante a residência artística.

De lembrar que, nas duas edições anteriores, este evento decorreu no parque do Carvalho de Calvos, onde existe um carvalho, classificado como Árvore de Interesse Público em 1997, que com mais de 500 anos é provavelmente o mais antigo da Península Ibérica e o segundo mais antigo da Europa.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação

Deixar um comentário