Braga

Trânsito. Bracarenses querem novas formas de mobilidade na cidade

Foto: Fernando Araújo
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Braga é uma cidade com mais de 2.000 anos de história, dinâmica, criativa, rica em património histórico, jovem e uma cidade que alia a tradição à inovação, segundo a FDi Magazine, uma publicação do Financial Times que destacou Braga como “um centro de tecnologia e talentos em rápido crescimento em Portugal”.

As consequências deste crescimento passam pelas complicações na mobilidade na cidade. Com o aumento da população, o trânsito sofreu também um aumento significativo. Segundo um estudo realizado por João Mota, no âmbito da tese de mestrado em Gestão de Marketing, sobre o estado da mobilidade, a maioria dos inquiridos vê com bons olhos a adoção de novas formas de mobilidade na cidade.

No entanto, “apesar da vontade dos inquiridos em ver em Braga meios de mobilidade suaves e amigos do ambiente, 48% afirma que a cidade de momento não tem as infraestruturas necessárias para os receber”, concluiu João Mota.

Em entrevista ao Semanário V no início de março relativamente ao caso concreto da freguesia de São Victor, o presidente da Junta, Ricardo Silva, afirmou que “a própria cidade não está infraestruturada para receber tanta mais população”, prevendo que em 2021 a freguesia atinja os 35 mil habitantes, mais 6 a 7 mil relativamente aos últimos censos, em 2011.

Com este aumento de habitantes é possível prever, igualmente, um aumento de carros a circular na freguesia, “seja estacionados, seja a circular”.

Desenvolver medidas de acalmia de trânsito, é um prioridade na cidade de Braga que tem vindo a crescer significativamente.

João Mota verificou ainda que 72,4% dos inquiridos afirmam que uma “Rede de bicicletas partilhadas” é um dos novos meios de mobilidade que gostavam de ver implementados na cidade.

O Município de Braga está ciente de que a opção pelo transporte individual continua a predominar, tendo por isso criado um conjunto de princípios integrados no Plano de Ação de Mobilidade Urbana Sustentável (PAMUS).

As medidas do Município passam por promover os modos suaves, promover a melhoria do sistema dos transportes públicos, reforçar a intermodalidade do sistema de transportes públicos e ainda a implementação de sistema inteligente de controlo de tráfego.

Estas medidas têm como objetivo reduzir o tráfego motorizado, bem como o impacto ambiental associado. Pretendem também melhorar a interligação entre as diferentes áreas da cidade e, entre outros, tornar o serviço de transporte público mais rápido e atrativo.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista