Braga Destaque

Nenhum deputado da Assembleia da República é a favor da venda da Fábrica Confiança

Fábrica Confiança (c) DR
Redação
Escrito por Redação

Nenhum deputado da Assembleia da República defendeu a venda do edifício histórico a privados. O Parlamento aprovou esta sexta-feira o texto de substituição da Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto (relativos a projetos de resolução apresentados pelo PS e PCP) que pede ao Governo que tome as “diligências necessárias para que o processo de classificação patrimonial do edifício da antiga Fábrica de Saboaria e Perfumaria Confiança seja concluído com celeridade”.

A Plataforma Salvar a Fábrica Confiança congratula-se, assim, com a votação que ocorreu durante o dia de hoje no Parlamento, considerando que “foi um momento histórico para a defesa do edifício da Saboaria e Perfumaria Confiança, ficando assim consagrado pela Assembleia da República o amplo consenso entre partidos para que o edifício continue na esfera pública, ao serviço da cultura e da memória colectiva, preservando um edifício industrial que merece ser classificado”.

O texto aprovado quer que o Governo “encete diligências junto da Câmara Municipal de Braga, no sentido de ser analisada a possibilidade de obtenção de fundos europeus para a reabilitação do edifício da Fábrica de Saboaria e Perfumaria Confiança, com vista à sua proteção e valorização e eventual instalação de projetos culturais e museológicos que sustentem e garantam a sua preservação na esfera pública”.

Sem qualquer voto contra, votaram a favor os deputados do PS, BE, PCP, PEV e PAN. Os deputados do PSD e do CDS abstiveram-se. Desta forma, nenhum deputado da Assembleia da República defendeu a venda do edifício histórico a privados.

Recorde-se que, em dezembro, os deputados membros da Comissão de Cultura, Comunicação, Juventude e Desporto tinham visitado o edifício da Fábrica Confiança e reunido com a Plataforma Salvar a Fábrica Confiança. Já então nenhum deputado que integrava a comitiva tinha defendido a venda o edifício a privados.

A Câmara Municipal de Braga tem afirmado publicamente que não tem verba para transformar a histórica Fábrica Confiança num equipamento cultural, tal como previsto na sua expropriação em 2012.

Para resolver este impasse, as associações que integram a Plataforma Salvar a Fábrica Confiança apresentaram há duas semanas o projeto Confiança – Centro Cívico e Cultural, que permite abrir o edifício ao público.

As primeiras iniciativas que as associações se propõem a realizar na Fábrica Confiança são uma das exposições dos 29ºs Encontros de Imagem, já em setembro, e a celebração do 125º aniversário da Saboaria e Perfumaria Confiança, que se assinala a 12 de outubro de 2019.

Esta quinta-feira a Plataforma apresentou o projeto Confiança – Centro Cívico e Cultural, no Mira Forum, no Porto. No dia 25 de julho, às 15h, será a vez de Lisboa receber a apresentação, que irá decorrer na livraria Ler Devagar, situada na LX Factory.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação