André Almeida Opinião

Opinião. Dados Pessoais, o novo petróleo!

Redação
Escrito por Redação

Todos sabemos ou percebemos que “normalmente” os países produtores e exportadores de petróleo são mais ricos que os restantes, devido a essa matéria-prima ser uma das mais rentáveis do mundo. Arábia Saudita, Noruega, Emirados Árabes Unidos são alguns dos países onde se faz fortuna proveniente do petróleo e onde cidades como o Dubai são resultado exemplar disso.

No entanto outra “matéria” existe atualmente e é tão ou mais poderosa e valiosa como o petróleo que são os dados.

Os dados, quer sejam pessoais ou empresariais, tecnológicos ou financeiros são essenciais e são utilizados para muitos fins comerciais. Uma empresa com dados tem um poder inimaginável se os souber trabalhar, no entanto desafios se colocam quando falamos na privacidade, no consentimento e na utilização legal desses mesmos dados.

Com o surgimento diário de cada vez novas aplicações móveis e funcionalidades digitais o desafio tende a ser cada vez maior mas também maior é a dificuldade em reconhecermos quais direitos e permissões damos em relação aos dados partilhados.

Um exemplo “simples” e atual que viralizou nos últimos dias — para usar a linguagem moderna — foi o FaceApp, desenvolvido por uma empresa russa para tornar as pessoas “mais velhas” em fotos do Facebook. Este tipo de aplicações utiliza o facto “entretenimento” para obterem informações sobre os seus utilizadores: dados.

Infelizmente, sabemos que poucos se atentaram às políticas de privacidade existentes no tal aplicativo, nas quais constam que a empresa da aplicação pode monitorizar a navegação dos utilizadores na web para entender e ter acesso aos seus hábitos, tendências, perfis de busca, etc, além de, não menos importante mas talvez mais preocupante, deter as fotografias pessoais dos utilizadores, ao brincar de “envelhecer”, uma vez que estes cedem os direitos de todas as imagens geradas e publicadas pelo aplicativo. Ora, muito poucas pessoas têm noção disso.

Obviamente que, com uma base de dados de milhões de pessoas que usam o FaceApp, a FaceApp Inc passa a deter um enorme banco de dados que poderá “render uma fortuna”, se “por acaso” a empresa a “vender” a terceiros.

Contudo o objetivo deste artigo não é de o intimidar na utilização da aplicação. Antes sim, é o de a utilizar conscientemente!  🙂

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação

Deixar um comentário