Braga

UMinho cria laboratório de Biologia Alimentar em Vila Nova de Famalicão

Campus de Gualtar
Agência Lusa
Escrito por Agência Lusa

A Universidade do Minho vai criar um laboratório de formação, investigação e conhecimento na área da Biologia Alimentar, em Vila Nova de Famalicão, na antiga Didáxis, local “propicio à partilha de conhecimento e inovação”, adiantou hoje a autarquia.

Em comunicado enviado à Lusa, a câmara de Famalicão explica que a nova estrutura da academia minhota vai ficar instalado na “no futuro Centro Tecnológico das Carnes” e beneficiara ainda do facto “do concelho ser epicentro de um conjunto de empresas de referência nacional e internacional no setor”.

Segundo explica a autarquia, “até ao final do ano, cerca de 30 investigadores da Universidade do Minho estarão a trabalhar em Vila Nova de Famalicão, mas o objetivo é expandir o laboratório e alargá-lo a outras áreas”

Além dos laboratórios de investigação, o espaço, recentemente adquirido pela autarquia, terá ainda um conjunto de salas para formação e uma incubadora para transferência de conhecimento, sendo os setores a privilegiar o âmbito alimentar (carnes, bolachas e produtos relacionados e laticínios), áreas identificadas como sendo de referência para o município.

“Este espaço é uma mais-valia para o concelho. Vem acrescentar uma nova resposta ao nível do ensino e da investigação”, afirma no texto o presidente da autarquia, Paulo Cunha.

O autarca refere ainda ser “muito gratificante para a câmara municipal constatar o interesse de uma instituição como é o caso da Universidade do Minho, em trazer para Famalicão um centro de investigação de excelência que não só responderá a necessidades locais como a outras dinâmicas de outros âmbitos, nomeadamente empresariais e económicas”.

No texto, a autarquia explica que a Universidade do Minho “reconhece a importância do município de Vila Nova de Famalicão, como parceiro para o desenvolvimento da sua atividade de formação (avançada), investigação e para o reforço da valorização e transferência de conhecimento”.

As duas entidades vão assim assinar um protocolo que “pretende responder à necessidade de reforçar a interação da Universidade do Minho com o município, contribuir para a dinamização da atividade económica, reforçar a atividade cientifica da UMinho em cooperação com o tecido industrial da região, apostar na formação avançada dos quadros das empresas, promover a transferência e valorização de conhecimento gerado e apostar em áreas de atividade económica emergente no concelho”.

Para além da Universidade do Minho, o edifício receberá a partir de setembro um polo do Instituto Politécnico de Cávado e do Ave (IPCA) que se vai juntar ao polo do Instituto Politécnico de Bragança (IPB) com oferta dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais, em várias áreas.

Comentários

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa

Deixar um comentário