Desporto Destaque Vila Verde

Emigrantes trouxeram o jogo petanca para Portugal e Vila Verde já se rendeu

Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

A petanca nasceu em França, em Marselha, no princípio do século XX e já chegou a terras portuguesas. Em Soutelo, Vila Verde, um grupo de homens, na sua maioria reformados, junta-se todos os dias, à execpção do domingo, para jogar durante várias horas.

Trata-se de uma atividade que se pratica em equipas de um, dois ou três jogadores e o jogo consiste no lançamento de bolas metálicas com o objetivo de ficar o mais próximo possível de uma pequena bola de madeira (cochonette), lançada previamente por um jogador. o nome petanca surge da expressão “pieds tanqués”, que significa pés juntos.

Apenas na década de 80 chegou a Portugal a petanca, pelas mãos dos emigrantes. O grupo que se junta na zona de piqueniques do Alívio é composto, na sua maioria por emigrantes.

Gérard, um dos praticantes, é o único de origem francesa e foi um dos “fundadores” do grupo do Alívio. Por volta das duas da tarde, juntam-se mais de 10 pessoas para jogar petanca. Enquanto duas equipas jogam, os restantes elementos descansam com jogadas de cartas.

Este grupo já se juntou há mais de 10 anos. “Havia um grupo de emigrantes, que agora já têm a reforma, que começaram a jogar e a palavra foi passando e agora somos um grupo que gosta de conviver”. Faça chuva ou faça sol, o grupo junta-se “das duas às quatro e meia, todos os dias, foi um vício que nós apanhamos”.

Gérard está casado com uma portuguesa há 52 anos. Há 50 anos que visita Portugal, onde se sente bem e decidiu construir uma casa em Turiz, na qual vive há quase 10 anos. Como está reformado, passa “3 ou 4 meses em França”, onde tem a família, e o resto do ano em Portugal. O praticante de Petnaca confessa que o local onde se juntam, no Alívio “é maravilhoso, tem sombras, tem mesas e é sossegado”.

O objetivo do jogo é chegar a bola metálica o mais perto possível do cochonette. Os jogadores tentam atirar as bolas de metal o mais próximo do marcador ou mesmo atingir a bola do adversário.

 

Francisco Costa, um dos elementos do grupo, participou no Campeonato Nacional de França desta modalidade. “Começou no sábado de manhã e eu perdi no domingo, à uma da tarde. os que ganharam foram campeões de França”, contou.

Segundo Francisco, em quase todas as vilas francesas há um clube de petanca, algo que não acontece em Portugal. “Os portugueses que jogam na França são muito bons”.

Francisco Costa é português e vive, neste momento, em Portugal, mas passou muitos anos em França, onde começou a jogar.

A opinião do grupo é unanime, Francisco Costa é o melhor jogador do Alívio. “Ele pode jogar com um fraco, com um bom, ele ganha sempre, é verdade”.

A modalidade tem maior importância na região Sul do país, mas já começou a ganhar fama no Norte, onde já se realizam torneios. Portugal está em 9.º lugar do ranking de 100 países que praticam a modalidade. A Taça de Portugal realizou-se em Ílhavo, onde participaram cerca de 350 jogadores.

Fotos: © Luís Ribeiro / Semanário V

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista