Braga Destaque

Ambiente. Mais de 20 mil pontas de cigarro recolhidas no centro de Braga por turistas

Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Turistas estrangeiros recolheram 20 mil pontas de cigarro em duas horas no centro de Braga, no percurso entre a Avenida Central e a central de camionagem.

No passado sábado, a associação juvenil Synergia juntou-se à ação de Plogging Braga, com presença dos voluntários do programa europeu da associação bracarense, para apanhar pontas de cigarro e lixo espalhado por Braga.

O resultado foram 20 mil beatas e 4 sacos cheios de lixo. A ação promovida pelo Braga para Todos contou, também,  com a Associação Juvenil de Gualtar, parceira na ação, e outros ativistas que se juntaram ao plogging. A iniciativa vai repetir-se nos dias 17 e de agosto. Em setembro as ações voltarão com mais parcerias.

Esta foi a segunda ação do Braga Plogging e os participantes foram os vários ativistas que estão em Portugal ao abrigo do programa europeu de voluntariado da associação Synergia, que levou à ação ambientalista 5 turcos, 2 romenos e 1 indonésio.

“Quando decidimos lançar o Braga Plogging, tentamos passar o repto a associações bracarenses para nos ajudarem no terreno, porém tínhamos a consciência que o mês de agosto, naturalmente, face ao período de férias, é mais complicado a nível de concentração de pessoas”, disse Elda Fernandes, porta-voz do Braga para Todos, acrescentando que “a associação Synergia foi uma das que aceitou participar na ação e foi bastante interessante verificar como estas questões são transcendentes ao vários países e mostrar que, apesar de culturas diferentes, há algo que nos une: a emergência de cuidar da nossa casa, que é apenas uma, a Terra”.

O movimento ativista da cidade pretende atrair pessoas de todas as idades com ou sem ligação a associações ou grupos formais.

As ações de Plogging continuam a ter como ponto de encontro o espaço Soul, na Avenida Central, pelas 18h, e terminam às 20h. Estão marcadas ações para dia 17 e 24 de agosto e abrangem o centro da cidade, sempre com percursos diferentes.

“As reações são maioritariamente positivas, com as pessoas a agradecer a ação e a entenderem a lição de civismo que pretendemos passar. Por norma questionam de onde vimos e há quanto tempo estamos a apanhar beatas e ficam surpreendidas quando dizemos que o conteúdo da garrafa foi apenas em meia hora”.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista