André Almeida Opinião

Opinião. O barato sai caro!

Redação
Escrito por Redação

O título do artigo desta semana é uma expressão que o leitor já deve ter ouvido ou mesmo utilizado. Eu utilizo-a a tento por lembrar-me dela em todos os momentos do processo de decisão de compra. Na maioria das vezes temos de olhar para outros factores que não apenas o preço.

Em relação ao tema do artigo desta semana, a expressão vai de encontro a uma das práticas que se vão assistindo no digital. A maioria das pessoas que navega na internet e utiliza as redes sociais quer ter mais seguidores, especialmente no Instagram, daí que vários gestores de marcas, por forma a reunirem muitos seguidores, optam pela prática de comprar seguidores ao invés de os convidar organicamente, pensando que essa é uma boa forma, simples, barata e rápida de ganhar expressão e reconhecimento no mercado. No entanto, o barato pode sair caro.

Geralmente esse tipo de ação promete resultados imediatos, além de centenas e milhares de seguidores com um simples pagamento, no entanto há diversos factos de que isso não passa de uma grande armadilha.

O principal facto é simples de compreender: os seguidores comprados não interagem. Eles não comentam, não reagem às publicações, não partilham, não clicam em links patrocinados e, consequentemente, não compram os produtos. São perfis falsos, muitas vezes apenas robôs que servem para seguir uma grande quantidade de utilizadores/perfis/páginas. Nada mais.

É normal perceber quais as páginas que poderão utilizar ou ter utilizado estas “alternativas”, verificando o nível de interação que as publicações têm. Se uma página tem milhares de seguidores e apenas 2 ou 3 pessoas reagem aos conteúdos, provavelmente algo ali não coincide…

Basicamente trata-se de uma ilusão que apenas cria uma impressão no primeiro momento mas que depois tende a revelar a realidade.

Outra razão para não comprar seguidores tem a ver com a segurança: a sua e dos seus contactos. Boa parte desses perfis usados para ‘camuflar’ número de seguidores são bots (robôs) que, quando ligados a uma conta, podem adquirir a lista de contatos e seguidores reais de determinado perfil/página, podendo abrir espaço para o “livre acesso” a informação pessoal e/ou envio de spam e vírus, o que pode levar, inclusive, ao roubo de dados.

Como se não bastasse todos estes pontos negativos, quem compra seguidores nas redes sociais assume riscos ao infringir os Termos de Utilização das diversas plataformas. Como ‘castigo’, estas podem excluir o perfil/página da plataforma e com isso a presença digital da empresa/marca ficar comprometida.

Quer mais pontos negativos? Esta prática gera ainda outras desvantagens, entre elas: diminuição da credibilidade; dificuldade em atingir os objetivos nas redes; falta de interação; falta de acesso a verdadeiros dados estatísticos.

Portanto, é necessário um conjunto de trabalho nas Redes Sociais para atingir os reais seguidores. Precisamos ter em mente que o objetivo da sua marca estar presente nas redes sociais deve sempre ir de encontro com resultados reais, partilhando conteúdo real, pois é esse conteúdo real que o potencial cliente irá confrontar no momento da decisão de compra. E se “a cara não bate com a perdigota” vai certamente perder um futuro cliente.

Desenvolva a sua estratégia de relacionamento com o seu público de forma sustentada, com conteúdo real. Mais vale pouco mas bom! Se o seu produto/serviço for de qualidade verá que terá muito sucesso!  🙂

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação

Deixar um comentário