Ambiente País Região

Mil sobreiros abatidos para dar lugar ao maior “empreendimento elétrico” da Europa

(c) TVI24
Redação
Escrito por Redação

Mais de mil sobreiros, dos quais cerca de 40% são exemplares adultos, vão ser abatidos nas áreas que vão ser inundadas pela construção das barragens de Daivões e Alto Tâmega, em Trás-os-Montes. O Governo declarou a “imprescindível utilidade pública” dos dois empreendimentos, que serão construídos pela eléctrica espanhola Iberdrola, viabilizando o derrube das árvores protegidas.

De acordo com o despacho assinado pela secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza e pelo secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural que foi publicado em Diário da República nesta terça-feira, a empresa Iberdrola “solicitou o abate de 444 sobreiros adultos e 701 jovens”, totalizando 1145 árvores, que se estendem por “cerca de 15,07 hectares”.

No final de 2016, o Governo deu luz verde à retirada de 608 árvores em cerca de 4,6 hectares localizados na área de construção da barragem de Gouvães.

O maior empreendimento do género em toda a Europa

As três barragens e centrais hidroeléctricas que a Iberdrola está a construir no rio Tâmega (Gouvães, Daivões e Alto Tâmega) foram anunciadas como constituindo o maior empreendimento do género em toda a Europa, e o maior de sempre na Península Ibérica: abrange os municípios de Ribeira de Pena, Boticas, Vila Pouca de Aguiar, Chaves, Valpaços, Montalegre e Cabeceiras de Basto, num investimento superior a 1500 milhões de euros e terá “uma potência instalada de 1158 megawatts que representará, quando construído, 6% da potência instalada em Portugal”, segundo a empresa espanhola.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação

Deixar um comentário