Destaque Vila Verde

Soutelo. Mais de 30 gatos abandonados e esfomeados após dona falecer e ninguém se responsabiliza

Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Mais de 30 gatos estão ao abandono numa propriedade em Soutelo, após a dona ter falecido há vários meses. A situação foi denunciada por um vizinho, que tentou resolver o problema com várias entidades, mas sem sucesso.

Carlos Monteiro, em emails enviados ao Município de Vila Verde, com o intuito de resolver o problema, explica que a proprietária do terreno faleceu há alguns meses, tendo deixado cerca de 5 gatos abandonados. Atualmente, “já são mais de 30 animais esfomeados, sendo que alguns deles já morreram à fome e sede, o que é de lamentar”.

Em declarações ao Semanário V, Carlos Monteiro afirma que já chegou a “comprar comida” e é comum dar restos de refeições, “mas os animais começaram a reproduzir”, tendo já nascido várias ninhadas.

Após ter tentado conseguir ajuda da veterinária municipal, que declarou não ter condições para resolver o problema, Carlos contactou o Município há cerca de um mês, “mas ninguém responde”.

“Cheguei a falar com uma vereadora, que me disse que ia passar lá numa terça-feira, mas não fazem nada e atiram a responsabilidade uns para os outros”, disse Carlos Monteiro.

Além de esfomeados e abandonados, os gatos invadem a propriedade vizinha, o que deixa Carlos Monteiro preocupado com o bem-estar dos seus netos.

“Ainda no domingo estávamos a almoçar e sete ou oito gatos saltaram para o meu quintal”, contou o proprietário da casa vizinha, acrescentando outra situação que se passou após ter deixado “carne grelhada que sobrou no grelhador”, tendo os gatos rondado a comida.

“Nós temos pena e damos restos aos animais, mas eles reproduzem-se e já são mais de 30”, contou ao Semanário V. “Os primeiros 4 ou 5 eram mansos, mas nasceram outros e são mais vadios”.

Após ter enviado um email ao presidente do Município de Vila Verde, ao qual ainda não recebeu resposta, Carlos Monteiro contactou esta terça-feira o vereador Patrício Araújo, na esperança de encontrar uma solução ao problema.

Carlos Monteiro reforça que já morreu, pelo menos, um gato à fome e à sede, criticando o facto de estar “na moda nas campanhas eleitorais, e não só, falar-se  tanto dos direitos e proteção dos animais, sem que depois nada se faça por eles”.

Carlos Monteiro considera que já se trata de um problema de saúde pública, “porque são gatos que não têm qualquer tipo de seguimento sanitário”, além de estarem abandonados e por sua conta.

Fotos: Carlos Monteiro

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista

Deixar um comentário