Cultura

Vítor Afonso, antigo autarca de Pico (São Cristóvão), lança livro sobre as suas vivências e a amizade

Durante os últimos três anos, Vítor Afonso foi escrevendo um livro, no qual aborda as suas vivências, a família e a amizade. “É um livro que celebra o significado da amizade”. É assim que descreve a sua primeira obra.

Natural do concelho de Vila Verde, Vítor foi presidente da Junta de Freguesia de Pico (São Cristóvão) e é, neste momento, técnico de farmácia. No próximo sábado, dia 28 de setembro, vai lançar o seu primeiro livro.

A obra está dividida em três partes: Tem poesia, pensamentos e textos. Aborda, acima de tudo, a amizade. Vítor conta que se trata de um regresso ao passado, às suas vivências de infância, à vida profissional e familiar, os amigos que foi conquistando ao longo dos anos e amizades que ficaram do tempo de escola.

“Fala também do meu pai, que infelizmente fiquei sem ele, mas era a minha referência número um. Os nossos pais deixam-nos um legado, hoje ainda tenho amigos que eram do tempo do meu pai”, conta.

A poesia trata das suas vivências num sentido mais figurado em relação ao resto do livro. Os textos apresentam-se acompanhados por fotografias, na sua maioria, da autoria de Vítor, mas também cedidas por amigos. O autor mostra fotografias com o pai e do tempo quando andou a estudar.

Este é um sonho que “alimentava desde adolescente”, mas apenas agora concretizou. “Conforme vamos amadurecendo, vamos olhando para as coisas de forma diferente. A vida ensina-nos isso: quando avançamos na idade, vamos dando valor a coisas que quando éramos jovens não dávamos”.

“Naquela altura estava a escrever um romance”, conta Vítor, relembrando que foi autarca na sua freguesia. “Já tínhamos computador na altura que fui presidente da junta, mas era um sistema mais antiquado e não se faziam cópias de segurança de nada”.

Um noite, que Vítor conta que foi uma das piores noites da sua vida, a sede da Junta de Freguesia foi assaltada e levaram, entre outras coisas, os computadores. “Quando cheguei lá foi um choque tremendo. Tenho 56 anos e foi,  tirando a morte do meu pai ou dos meus avós, das coisas que mais me custou deparar-me com aquele cenário”.

Como não existiam cópias de segurança, o romance que Vítor estava a escrever há vários anos foi-lhe roubado. “Quando me deparei com o cenário na sede da junta, esvaziei-me em lágrimas”, disse Vítor, recordando que, “num dos computadores tinha uma história de há vários anos. De um momento para o outro fiquei sem nada”.

O título “INTENSA (MENTE)” surge com a ideia de criar vários significados a um livro que pretende abordar o valor da amizade. Vítor que deixar um legado, para que um dia a família e amigos possam olhar para algo criado e deixado por ele.

“O objetivo número um do livro é dar-me a conhecer enquanto pessoa e, depois, se conseguir angariar dinheiro com o livro, vou doar a uma instituição do concelho ou a alguma família carenciada”.

Este projeto é financiado em 50% pelo pelouro da Cultura do Município de Vila Verde.

O lançamento está marcado para o dia 28 de setembro, pelas 21h, na Biblioteca Professor Machado Vilela.

Fotos: Luís Ribeiro / Semanário V

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo