Destaque Vila Verde

Festa das Colheitas de Vila Verde está a chegar

Festa das Colheitas 2018 (c) Luís Ribeiro / Semanário V
Redação
Escrito por Redação

Vila Verde pinta-se com as cores da tradição para mais uma odisseia pelas maravilhas do mundo rural na Festa das Colheitas – XXVIII Feira Mostra de Produtos Regionais. Ao longo de cinco dias consecutivos, 9 a 13 de outubro, o evento traz à sede de concelho os produtos frescos do campo colhidos pelas mãos dos agricultores locais, recriações de práticas ancestrais, gastronomia da região, artesanato, espetáculos de música ao vivo e workshops, entre outros.

Ao todo, são mais de quarenta iniciativas para proporcionar experiências únicas e inesquecíveis alicerçadas nos hábitos, costumes e tradições locais, com ‘epicentro’ na Praça das Comunidades Geminadas (vulgo Campo da Feira), em Vila Verde.

O ‘1º Concurso do Vinho Verde: Sub-Região do Cávado’ é uma das novidades da edição deste ano. O concurso visa ajudar a divulgar e promover o vinho verde, bem como premiar os produtores locais de uma especialidade vinícola exclusiva do Noroeste de Portugal, cada vez mais apreciada e requisitada dentro e fora de portas. Os passeios turísticos pelo Caminho dos Lenços de Namorados em eTuk são outra das estreias do programa. Veículos ecológicos e inclusivos, adaptados para receber também pessoas de mobilidade reduzida para que ninguém tenha que ficar de fora.

Turismo, cultura e tradição

Coube à vereadora da Cultura do Município de Vila Verde, Júlia Fernandes, apresentar um programa de exaltação dos saberes e sabores do mundo rural, que se afirma também como um cartaz turístico com forte impacto na dinamização da economia local. É cada vez maior o número de visitantes que aproveitam os excelentes descontos no alojamento nos diversos espaços aderentes e há mesmo “grupos vindos da França, da Alemanha… de propósito para participar na Festa das Colheitas de Vila Verde”, revelou.

Este ano, duas iniciativas emblemáticas mudam de localização, a Corrida de Cavalos decorrerá no Parque Industrial de Gême e o encontro de Tocadores de Cavaquinho na Praça de Santo António. Nota de destaque também para algumas das atividades mais emblemáticas da Festa das Colheitas de Vila Verde. Com mais de duas dezenas de variedades de caldo, confecionadas como manda a boa tradição do Minho, a Festa do ‘Caurdo’ atrai anualmente um mar de gente ao recinto. “Mais de dois mil litros de caldo consumidos em pouco mais de duas horas”, exclamou Júlia Fernandes.

Os encontros nacionais prometem a atrair ao concelho largas centenas de tocadores de cavaquinho e concertina, vindos de vários pontos do país. As recriações fiéis de práticas agrícolas ancestrais (desfolhada, pisada de uvas e magusto), com os trajes, alfaias e métodos de outrora, prometem levar o público numa viagem pelo tempo. A vereadora da Cultura destacou também o empenho da comunidade local, já que são mais de uma centena de parceiros (empresas, associações, instituições…) que unem esforços com o Município de Vila Verde para criar um autêntico hino ao mundo rural. A gigante nacional Delta Cafés volta a criar pacotes de açúcar dedicados ao evento, disponíveis nos estabelecimentos aderentes.

Forte crescimento do setor agrícola no concelho

Presente na sessão, o presidente do Município de Vila Verde, António Vilela, sublinhou que a Festa das Colheitas de Vila Verde ‘encaixa como uma luva’ na estratégia de desenvolvimento do concelho. “Projetar o futuro, valorizando as raízes e o património que nos foi legado pelos antepassados para criar pontes de desenvolvimento e crescimento económico”, afirmou. António Vilela frisou também que esta é a iniciativa rainha da programação alargada Na Rota das Colheitas, que se estende do início de agosto ao fim de novembro. “Durante estes meses, são vivenciados momentos únicos ligados à nossa cultura e ao mundo rural”, afirmou.

O edil sublinhou ainda o forte crescimento do concelho em várias áreas, entre as quais o setor agrícola. “A agricultura tem vindo a crescer de forma exponencial. Nos últimos anos, Vila Verde foi um dos concelhos da Zona Norte que apresentou mais projetos agrícolas e que apresentou maior dinâmica em algumas atividades, como a exploração dos pequenos frutos. Também tivemos vários produtores locais com vinhos premiados”, salientou. Com o setor em amplo crescimento, nota-se já “uma forte componente de exportação, com a entrada de divisas para o país e a criação de emprego no território”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação

Deixar um comentário