Destaque Vila Verde

José Morais visita Centro Social de Covas e enaltece trabalho das IPSS concelhias

Redação
Escrito por Redação

A comitiva do PS, liderada por José Morais, visitou o Centro Social da Paróquia de Covas, onde foi recebida pelo presidente da direção, Padre Feliciano Oliveira, e pela diretora técnica, Luísa Gonçalves.

Segundo o candidato a deputado “com esta visita quisemos, por um lado inteirar-nos do trabalho e das dificuldades com que a instituição se depara no dia a dia, e, por outro, transmitir quais as opções políticas do Partido Socialista para a terceira idade”.

A comitiva socialista teve oportunidade de verificar localmente com está a decorrer a requalificação da antiga escola de Covas, a qual o Centro Social da Paroquial de Covas quer transformar num centro social.

José Morais confessou estar “encantado com o trabalho que é feito em Covas e com o projeto que a direção tem para esta IPSS”. Acrescentou, ainda, que os “idosos ficarão certamente com um apoio fundamental para melhorar a sua qualidade de vida”. 

Nas declarações feitas, José Morais acentuou por diversas vezes que “há diversas instituições concelhias a fazer um trabalho de excelência e insubstituível no setor da terceira idade. Esse trabalho de excelência é o reflexo do pensamento estruturado das direções das instituições e da competência e da dedicação dos profissionais que nelas trabalham. Esta é uma rede que temos de acarinhar e apoiar. É fundamental que se combata a solidão dos mais idosos. Hoje, as famílias têm dificuldades em acompanhar os seus familiares no dia a dia, o que faz aumentar a necessidade de outras respostas sociais, como as que as diversas IPSS dão”.

Quanto à política do PS para o setor, foi referido que “considerando que os atuais modelos de prestação de cuidados e de assistência na doença foram concebidos para uma sociedade muito menos envelhecida do que aquela que temos hoje e vamos ter no futuro, pelo que os riscos associados ao envelhecimento, como a dependência e o isolamento, exigem uma capacidade de reorientação dos sistemas de proteção social, a este propósito, o PS irá criar um sistema de identificação e sinalização das pessoas a viver em situação de vulnerabilidade associada ao envelhecimento, para efeitos de vigilância específica sedeada nos cuidados de saúde primários”, bem como “desenvolver um sistema integrado de sinalização de idosos isolados, associado a uma ‘garantia de contacto’ regular, em parceria e estimulando o voluntariado social”.

Além disso, o PS pretende, ainda, “inovar nas respostas para as questões da dependência e do isolamento, tanto em contexto urbano, como rural, reforçando, não apenas a rede de equipamentos e serviços já existentes, de preferência em contexto intergeracional, mas também apostando na criação de modelos intermédios de apoio, que respeitem a autonomia potencial das pessoas, mas garantam redes de acompanhamento, quer de proximidade, quer de contacto à distância, combinando os modelos formais com os cuidados informais”. 

Outras das medidas previstas passam por:

– Desenvolver, no âmbito do apoio à dependência, modelos de assistência ambulatória e ao domicílio, em parceria com a saúde;

– Prosseguir a trajetória de valorização real dos rendimentos dos pensionistas dos escalões mais baixos de rendimentos, nomeadamente através da reposição do valor de referência do Complemento Solidário para Idosos acima do limiar de pobreza, de modo a reforçar a garantia da eficácia desta medida no combate à pobreza entre os idosos;

– Prestar cuidados de saúde e de bem-estar multidisciplinares de natureza preventiva, de promoção, de tratamento, de reabilitação e de apoio social a pessoas em situação de isolamento (social e/ou geográfico) ou com elevado grau de dependência, essencialmente idosos e pessoas em idade ativa com patologia mental.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação

Deixar um comentário