Destaque

Guimarães desenvolve processo de construção para fomentar envelhecimento ativo

Partilhe esta notícia!

Escola de Medicina da Universidade do Minho elabora estudo para avaliar projeto “Vida Feliz”, que visa proporcionar à população sénior uma atividade física regular e devidamente orientada tendo em vista a melhoria da qualidade de vida.

(c) CMGuimarães

Com cerca de 1000 participantes, distribuídos por mais de 40 promotores locais, o projeto Vida Feliz proporciona aulas de atividade física, de hidroginástica e de ginástica sénior, através de uma intervenção diferenciada, à qual acresce um número significativo de iniciativas complementares, de cariz lúdico desportivo, passíveis de tornarem a vida das pessoas mais ativa e mais feliz. Através de um protocolo celebrado com Instituto de Investigação em Ciências da Vida e Saúde da Universidade do Minho (ICVS) “será possível avaliar e mensurar ao pormenor” a eficiência do projeto.

Esta quinta-feira, 10 de outubro, foram anunciados alguns resultados com base nos dados recolhidos conferindo desde logo o aumento de força e resistência dos membros superiores e diminuição do peso corporal numa mostra dos utentes do projeto “Vida Feliz”, apresentados por Margarida Correia Neves, professora da Universidade do Minho.

A vice-presidente da Câmara de Guimarães, Adelina Pinto, destacou a “mudança de paradigma” na sequência do envelhecimento da população e o aumento da esperança média de vida. “Há uns anos Guimarães era um dos concelhos mais jovens da Europa, mas isto mudou e também temos de mudar a nossa forma de atuar e decidir”, vincou Adelina Pinto, “através de um processo de construção e que nunca estará terminado”, adiantou ainda a vice-presidente da autarquia. O importante é “proporcionar qualidade de vida aos nossos idosos”, assente num projeto que abrange um elevado número de participantes e ao qual se associa agora a Universidade do Minho. “É importante contar com o apoio da Universidade, através da investigação, no sentido de avaliar os resultados e assim ajudar na orientação da decisão política”, definiu Adelina Pinto.

O presidente da Tempo Livre, Amadeu Portilha, assumiu uma “responsabilidade maior” nas respostas que pretendem desenhar, anunciando ainda novos passos ao nível da formação para os professores que integram este projeto.

Universidade do Minho enaltece trabalho realizado pela Câmara Municipal de Guimarães

 

O vice-presidente da Escola de Medicina da Universidade do Minho, Jorge Pedrosa, enalteceu o trabalho desenvolvido pela Câmara de Guimarães na resposta às necessidades da população sénior, destacando a possibilidade de garantir uma dimensão internacional ao projeto “Vida Feliz”, através de artigos de investigação que anualmente são publicados. “Este projeto Vida feliz é muito importante para Guimarães e poderá ser apontado como um exemplo a seguir”, salientou.

O projeto visa proporcionar à população sénior com mais de 55 anos, do concelho de Guimarães, uma atividade física regular e devidamente orientada tendo em vista a melhoria da sua qualidade de vida, sensibilizando-os para a adoção de em estilo de vida saudável.

Comentários

topo