Ambiente Destaque País

Preço para registar cães, gatos e furões não se fica pelos 2,5 euros

Redação
Escrito por Redação

Dias depois de o novo Sistema de Informação de Animais de Companhia (SIAC) — que obriga os donos de cães, gatos ou furões a registarem os seus animais de estimação —, ter entrado em vigor, a Ordem dos Médicos Veterinários alerta que o custo do registo não se fica pelos 2,5 euros. O preço total engloba também a implantação do microchip de identificação e a consulta veterinária, cujos preços variam de clínica para clínica, avança o jornal Público.

As queixas começaram a chegar à Ordem dos Médicos Veterinários nos últimos dias, assim como “muitos pedidos de esclarecimento”. “A taxa de 2,5 euros, que saiu no decreto-lei, é uma taxa que os médicos veterinários têm de pagar à base de dados [em que uma parte é para o Estado] para poderem registar animais”, explica ao PÚBLICO o bastonário da Ordem dos Médicos Veterinários, Jorge Cid.

Nas clínicas veterinárias criou-se “uma enorme confusão porque as pessoas interpretaram o decreto de uma maneira que não é a realidade”, salienta Jorge Cid. O preço que o dono do animal irá efectivamente pagar para o registar será inevitavelmente superior a 2,5 euros, afirma. Isto porque o custo total irá incluir, regra geral, esta taxa — que o veterinário pagará para aceder e registar o animal no SIAC —, assim como o preço do microchip e da sua colocação e uma consulta para verificar se está tudo bem com o animal.

Partilhe esta notícia!

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação