Destaque

Mãe de menino autista pede “corações” para animar o filho que vai ser operado. Saiba mais

Partilhe esta notícia!

O Gustavo é autista com um atraso global de desenvolvimento. A mãe tem 38 anos, o Gustavo tem 8 anos e a filha tem 1 ano. “Somos 4, cá em casa, pois o meu fenomenal companheiro não pode ser esquecido! Tem sido essencial em tudo porque nos ajuda, apoia e trata sempre da filhota sozinho quando estou com estas atenções com o Gustavo.”

O V falou em exclusivo com a mãe do pequeno Gustavo que nos contou como começou esta campanha, que passa apenas por partilhar afetos com o seu menino.

“Estava em casa, sentada no sofá e em fase introspectiva. Pensava:”Bolas…! O Gustavo vai sofrer imenso quando perceber que vai ser submetido à cirurgia (recordava-me da última operação que fez, em que, conforme ia de mãos dadas com uma enfermeira ou já era a anestesista – não me recordo bem – olhou para mim com as lágrimas nos olhos… A chorar silenciosamente). O que poderei fazer para que fique um bocadinho mais feliz quando regressar a casa e esqueça por momentos o hospital e a operação?”
De repente, surgiu a ideia! Corações! Isso mesmo!
O Gustavo, sendo que adora corações e está sempre a desenha-los, talvez possa receber deles também em casa! Decoro o quarto com corações de outras crianças! Será um quarto cheinho de amor! Muito amor! – pensei”, revela a mãe do pequeno Gustavo.

Onda de solidariedade não pára de crescer

Conta a mãe que “Resolvi agir. Estou inserida num grupo da monoparentalidade e escrevi um texto (também em forma de desabafo) onde solicitava que, quem tivesse disponibilidade e quisesse, pois sei que daria trabalho, que enviasse uma carta com corações (desenhados, recortados, de qualquer forma), para o Gustavo! Poderiam ser os filhos, os sobrinhos, os amigos e as amigas a fazerem! Todos os corações seriam bem recebidos! Verdade é que esperava, talvez, umas 10, 20 cartas no máximo e sei que já o faria muito feliz, mas os portugueses e as senhoras desse grupo, sensibilizaram-se tanto que aderiram em massa e pediram para partilhar, pois ainda haveria quem mais aderisse!
Permitir, claro!
Porém, não me passaria pela cabeça que tomasse estas maravilhosas dimensões!

Muitas mensagens, muitas notificações, muito amor e carinho!”

Apoio de mães e grupos

“Muitas amigas que partilharam o pedido nas suas páginas, foram recebendo também mensagens e transmitiam uma a uma! Foram essenciais neste desenrolar! A Rita Leston da página “Gosto de ti e então?”, a Rita Alves do grupo das “Desofendidas”, a Susana Marisa da “Ser mãe não mata, mas mói”, foram algumas das pessoas envolvidas. Devo-lhes muito pois respondiam por mim a quem lhes enviava mensagem quando viram as suas partilhas.
A projecção foi tal que recebi mensagens de professoras de colégios e escolas públicas, jardins de infância, de centros de dia, lares de idosos… Acredite, coração cheio com tanta adesão a um gesto tão simples, mas que transforma um coração”, agradece a mãe a todos aqueles que se juntaram a esta causa.

Agentes da PSP, GNR e Força Aérea uniram-se à causa

A PSP concretizou o maior sonho do Gustavo: ser polícia. Foi polícia por uma tarde e foi indescritível. Vibrou de emoção! “Ainda hoje me diz: “Sou polícia!!”
O empenho e a dedicação foram sem tamanho. “Um agradecimento nunca é demais para e saberá sempre a pouco para aquilo que gostaria de lhes transmitir. A alegria que proporcionaram ao Gustavo, jamais será esquecida” revela a mãe emocionada.

Desde a GNR à Forca Aérea, foram excepcionais ao enviarem vídeos, apoio e muito carinho para o Gustavo!

Para onde enviar?

“O meu filho, abre as cartas sempre entusiasmado: “Mãe, eu escolho… Pode ser esta! Agora fecha os olhos e conta até 100″. Depois, abre a carta: woooow! Que lindo!! Olha!! Anda com os corações à volta e de seguida, faz a sua pose para a foto”, revela a mãe ao V.

As cartas podem ser enviadas para:

Gustavo Matos Rua Vieira Lusitano, nº 4 – 3 esquerdo Damaia de cima 2720-539 Amadora

Comentários

topo