Cultura

Centro Histórico de Guimarães celebra 18 anos como Património Cultural da UNESCO

A celebração do 18.º aniversário da inscrição do Centro Histórico de Guimarães na Lista do Património Cultural da UNESCO assinala-se com atividades nos dias 13 e 14 de dezembro.

Na sexta-feira, o Património Cultural Imaterial volta a estar em destaque no encontro ‘Em Concreto’, a decorrer na Casa da Memória de Guimarães (09h30 às 18h00), sendo possível consultar o programa em www.casadamemoria.pt<http://www.casadamemoria.pt>.  A Oficina e o Centro em Rede de Investigação em Antropologia da Universidade do Minho voltam a associar-se para organizar um encontro em torno das questões relacionadas com o Património Cultural Imaterial. Tal como nas duas edições anteriores, o objetivo passa por trabalhar a partir de experiências de terreno. Desta feita, o tema é o Artesanato, que se encontra numa altura de grandes incertezas. Na mesma ocasião, será lançado o 13º volume da revista de estudos em património cultural, Veduta.

O programa desta edição ‘Em Concreto’ tem apresentação de Jean-Yves Durand (CRIA-UMinho) e Catarina Pereira (A Oficina – Centro de Artes e Mesteres Tradicionais de Guimarães) e conta com a participação de Ana Pires, Graça Ramos (Associação Portugal à Mão), João Ribeiro da Silva (DRCN – Direção Regional de Cultura do Norte), Bebiana Pereira, Rosa Azevedo, Vera Alves, Ana Saramago (Hardcore Fofo), Conceição Rios, Cristina Vilarinho e Alberto Azevedo (Projecto A2), Rita Ruivo (Bordar em Português), Susana Calado Martins e Marco António Santo (Barroca – produtos culturais e turísticos).

Às 17h00 realiza-se uma sessão oficial no Salão Nobre da Câmara Municipal, seguindo-se o concerto de António Victorino d’Almeida (piano) e Ana Maria Pinto (soprano) na Igreja de Santo António dos Capuchos, com início às 18h30.

Da música ao desporto, mais à noite, terá lugar mais uma edição da “Corrida pelo Património”, integrada nas comemorações do 18º aniversário da elevação do Centro Histórico a Património Cultural da Humanidade, numa organização da Câmara Municipal de Guimarães e o movimento “Guimarães Corre Corre”. O evento percorrerá vários monumentos emblemáticos da cidade de Guimarães, a partir das 21h30, sem características competitivas e aberto à participação de todas as pessoas. O itinerário, com cerca sete quilómetros de extensão, percorrerá algumas ruas e vielas do centro da cidade de Guimarães, com passagem pelo interior de monumentos e espaços públicos, como é o caso do Museu de Alberto Sampaio, Instituto de Design e Castelo.

No sábado, 14 de dezembro, decorre a inauguração da intervenção urbana “As paragens onde o tempo habita”, às 15h00, no âmbito da Bienal de Ilustração de Guimarães. Segue-se uma visita à exposição “Prémio Nacional BIG 2019”, no Palácio de Vila Flor, orientada por Tiago Manuel, e uma visita em autocarro, às paragens intervencionadas.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo