Braga Destaque Vila Verde

Lista com dados pessoais de 3714 militantes do PSD de Vila Verde circulam na internet

Um ficheiro informático com dados pessoais de 3714 militantes do PSD de Vila Verde estará a ser enviado por e-mail, adianta fonte ao Semanário V.

O ficheiro em formato Excel, que o V teve acesso, tem todos os dados ordenados por “Distrital / Secção / Núcleo/ Número / Nome / Situação / Quota Válida / Idade / Telemóvel / E-mail / Telefone Fixo / Morada”. Todos os dados são de militantes residentes em Vila Verde.

Segundo a mesma fonte, o e-mail terá sido enviado por Mário Fernandes, assistente de José Manuel Fernandes (eurodeputado) no Parlamento Europeu.

O e-mail com conteúdo sensível, terá como destinatários Carlos Tiago Alves (adjunto do presidente da Câmara Municipal de Vila Verde), José Manuel Lopes (presidente da Junta de Freguesia de Moure e presidente da Comissão Política do PSD de Vila Verde após renúncia de António Vilela) Carlos Cação (presidente da União de Freguesias do Vade) e Jorge Oliveira (presidente da junta de Freguesia de Dossãos).

Eleições diretas internas no PSD é já no dia 11 de janeiro

Falta menos de um mês para as eleições diretas internas no PSD que servirão para eleger um novo líder. Há três candidatos – Rui Rio, Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz.

Por Vila Verde António Vilela e José Manuel Fernandes já mostraram publicamente que apoiam Rui Rio.

O que diz o Regulamento Geral de Proteção de Dados

Esta “base de dados” informática e sua circulação pode estar a violar o Regulamento Geral de Proteção de Dados ( RGPD ) que entrou em vigor em 25 de Maio de 2018 e substituiu a diretiva e lei de proteção de dados em vigor. O regulamento obriga a controlar as circunstâncias em que foi obtido o consentimento dos titulares quando isso for base legal do tratamento dos dados pessoais. Existem um conjunto de exigências para obtenção desse consentimento e o seu não cumprimento obriga à obtenção de um novo consentimento.

Coimas. O regulamento estabelece um quadro de aplicação uniforme assente em dois escalões (em função da gravidade): nos casos menos graves, a coima poderá ter um valor até 10 milhões de Euros ou 2% do volume de negócios anual a nível mundial, consoante o montante que for mais elevado. Nos casos mais graves, a coima poderá ter um valor até 20 milhões de Euros ou 4% do volume de negócios anual a nível mundial, consoante o montante que for mais elevado.

Comentários

Acerca do autor

Paulo Moreira Mesquita

Paulo Moreira Mesquita

Diretor Semanário V

Deixar um comentário