Braga

PSP alerta para vaga de assaltos em Braga e deixa recomendações de segurança

Partilhe esta notícia!

A PSP de Braga, alerta em comunicado que “durante o fim-de-semana,  verificou-se um número anormal de furtos em interior de veículos (mais de uma dezena), nas zonas envolventes da Avenida Central, da Central de Camionagem e nas imediações da Avenida João XXI.

Estes furtos incidiram essencialmente em carros de matrícula estrangeira e todos tiveram o mesmo modus operandi: partiram os vidros das viaturas e retiraram tudo o que havia no seu interior.

Este episódio teve lugar num período muito específico e limitado de tempo e foi a primeira vez que aconteceu na cidade de Braga. A PSP tem conhecimento de situações idênticas noutras cidades (que aconteceram numa só noite em grande número e onde as viaturas foram vandalizadas e assaltadas).

Esta Polícia encontra-se a desenvolver diligências no sentido de apurar o(s) autor(es) dos furtos e danos afim de levar os mesmos a Tribunal.

A PSP considera que esta situação não reflete a normalidade no dia-a-dia da cidade de Braga e vem inclusive contra a tendência de registo da criminalidade nesta cidade, que ao longo dos últimos meses  tem vindo a descer consistentemente.

Informamos ainda que esta Polícia continua empenhada, quer através de patrulhamento preventivo, quer através das suas Equipas de Investigação Criminal, em garantir a segurança da população que serve”.

Uma vez mais, este Comando Distrital da PSP de Braga  alerta para os cuidados que se deve ter em conta para a prevenção de furtos:

  • Não deixe objetos à vista no interior das suas viaturas;
  • Guarde as chaves sobressalentes em casa ou no seu bolso, mas nunca no interior da viatura.
  • Substitua os fechos de segurança das portas por hastes finas sem cabeça. É assim praticamente impossível puxá-los com um arame.
  • Quando estacionar, deixe o lado do motor virado para o local mais visível. Se alguém lhe mexer será mais facilmente detetado.
  • Mesmo que a sua ausência seja breve, nuca deixe o motor a trabalhar. Nem mesmo num parque de estacionamento.

Comentários

topo