André Almeida

Opinião. A voz primeiro

O meu primeiro artigo aqui no Semanário V em 2020 foi sobre tendências e é nesse registo que posso classificar o tema do artigo desta semana. Não se trata de dar voz a quem não a tenha mas antes de destacar o que já existe a outro patamar, um patamar onde ainda quase ninguém está.

O uso dos Smartphone’s e de outros dispositivos móveis cresce a cada ano, e uma das características ligadas a esses dispositivos é a capacidade de comunicar por voz.

A voz é algo que sempre existiu, no entanto no contexto digital ainda é muito pouco utilizada. Analisando bem, hoje em dia esse meio é o que talvez possua mais valor, acima de qualquer outra forma de comunicação. E a tendência é crescer. Além de transmitir o contexto, é possível expressar sentimentos, intenções, emoções e conjugadas com a Inteligência Artificial (AI) pode revolucionar a forma como vivemos daqui em diante.

No âmbito do marketing digital podemos batizar esta tendência como “Voice First”, ou em Português, a Voz primeiro.

Neste meio é comum utilizar-se a expressão Mobile First quando se procede ao desenvolvimento do canal Website, que significa que se deve primeiro focar a atenção na experiencia e funcionalidade em Mobile e depois em Desktop (PC). Aqui como se fala em voz e dada a sua importância nas estratégias atuais, advém então o nome Voice First.

Então o que é isto?

Em primeiro lugar, é preciso entender que a comunicação oral além de ser natural, traz a capacidade de desenvolvimento adquirida desde o nosso nascimento. É um facto, que já devemos considerar que o Voice First exerce um papel fundamental no avanço das tecnologias por meio de comando de voz. Com tecnologias de Messaging como o Messenger ou o What’sApp, este tipo de comunicação já é muito utilizado na transmissão de informação. Hoje em dia é cada vez mais recorrente pressionar o botão de microfone e “falar” a mensagem em vez de a digitar. Para além de mais prático, despende menos tempo ao utilizador.

Então, como a utilizar nos negócios?

As marcas devem a partir de agora, para além de investirem em conteúdo vídeo (que já incorpora a componente áudio), investir no complemento dos seus produtos e serviços digitais com voz. Os princípios de SEO mantêm-se iguais ao formato tradicional, no entanto aqui aplicados ao conteúdo áudio.

Se tem um artigo/produto/serviço “escrito” no seu Website equacione introduzir também a componente Áudio.

Tenha em atenção à nomeação do ficheiro bem como à menção de texto alternativo e das palavras-chave no título e primeiro parágrafo do áudio.

A experiência de utilização do visitante será a ideal e tornará esse visitante numa possível Lead.

Posteriormente será possível também recorrer à publicidade online recorrendo à voz. Se as empresas tiverem já esse recurso disponível a probabilidade de o visitante ir ao seu website é muito forte.

Veja mais artigos de marketing aqui no Semanário V ou na minha página pessoal!

Bons negócios! 🙂

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo