Destaque

Há mais duas burlas em Portugal com MBWAY. Aprenda a não ser enganado!

MBWAY © PMM/Semanário V

Duas pessoas burladas em Ovar através do MB WAY. Primeiro caso ocorreu no dia 27, pelas 14h00, e teve como vítima um homem, de 61 anos, que tinha à venda um artigo em cerâmica num site de compra e venda ‘online’.

A PSP de Aveiro está a investigar o caso de duas pessoas residentes em Ovar que terão sido burladas através da aplicação informática de pagamentos e serviços MB WAY, informou esta quinta-feira aquela força policial. Segundo um comunicado da PSP, o primeiro caso ocorreu no dia 27, pelas 14h00, e teve como vítima um homem, de 61 anos, que tinha à venda um artigo em cerâmica num site de compra e venda ‘online’.

A PSP refere que a vítima recebeu uma chamada de um desconhecido que mostrou interesse na compra do referido artigo, informando que pretendia fazer o pagamento através da aplicação MB WAY. “A vítima, que desconhecia o modo de utilização da nova tecnologia, dirigiu-se a uma caixa Multibanco e, seguindo instruções do suspeito, introduziu o número de telemóvel deste e o respetivo código”, refere a mesma nota.

Desta forma, adianta a PSP, a vítima associou ao seu cartão Multibanco os dados do suspeito, acabando, inadvertidamente, por lhe dar acesso à conta que está associada ao seu cartão, permitindo assim que o suspeito realizasse levantamentos indevidos de dinheiro da sua conta bancária.

A vítima só se apercebeu que tinha sido vítima de burla pelas 20h00, quando um funcionário do Banco lhe ligou a informar que, durante a tarde, tinham sido feitos levantamentos de dinheiro.

Ainda em Ovar, no dia 28 de janeiro, às 17h39, outro homem, de 60 anos, denunciou, também, ter sido vítima do mesmo tipo de crime, através do mesmo “modus operandi”, quando pretendeu vender um eletrodoméstico, num site de compra e venda ‘online’. Ambos os casos estão a ser investigados pela PSP.

A SIBS, entidade que gere a rede de multibanco nacional, dá uma série de conselhos a ter em conta no uso do MBWay e noutras operações bancárias:

1 – Nunca forneça dados confidenciais ou pessoais como resposta a mensagens de correio eletrónico ou via SMS, mesmo que a origem da solicitação aparente ser legítima.

2 – Os bancos não solicitam, telefonicamente ou por e-mail, que adicione à sua conta bancária um número de telemóvel que não é seu ou não conhece. Caso seja contactado neste sentido e desconfie da legitimidade do contacto, deverá de imediato entrar em contacto com o seu banco.

3 – Da mesma forma, nenhuma entidade legítima, como operadoras de comunicação ou de outros serviços, lhe poderá solicitar, telefonicamente ou por e-mail, que adicione à sua conta bancária um número de telemóvel que não é seu ou não conhece. Em casos deste género, recomenda a SIBS, deverá de imediato entrar em contacto com o seu banco.

Partilhe esta notícia!

Comentários

Acerca do autor

Paulo Moreira Mesquita

Paulo Moreira Mesquita

Diretor Semanário V

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa