Ambiente

Guimarães. Vimágua aposta na sustentabilidade ambiental e instala painéis fotovoltaicos

A Vimágua apresentou esta quarta-feira a instalação de 896 painéis fotovoltaicos, no Reservatório da Pégada, em Azurém, resultado de um investimento de 222 mil euros, por forma de reduzir a intensidade carbónica dos edifícios afetos à sua atividade.

Neste momento, há uma redução de emissão de CO2 em 97 toneladas por ano, resultado ainda da instalação de sistemas fotovoltaicos no Reservatório das Minas da Penha, na freguesia da Costa, na Estação de Tratamento de Água de Gondomar, no edifício sede da Vimágua, na Estação de Tratamento de água de Santa Eufémia de Prazins e no Reservatório da Pégada, representando, no seu total, uma potência instalada de 271Kwh.

O Presidente da Câmara Municipal de Guimarães sublinhou o “exemplo” nesta estratégia de redução de carbono e no âmbito da sustentabilidade ambiental. “A Vimágua está de parabéns e este é um exemplo para todas as empresas do Município, desde os edifícios sede às instalações desportivas, culturais e sociais, no sentido de colocarem nas suas coberturas e espaços disponíveis painéis fotovoltaicos para terem energia renovável e, assim, deixam de emitir partículas de dióxido de carbono”. Domingos Bragança complementa esta estratégia com a “poupança na fatura energética”. O Presidente da autarquia apela à “consciência ecológica” no sentido de “cada um fazer a sua parte” e sublinha que “é importante dar pequenos passos para atingir uma grande mudança”.

O Presidente do Conselho de Administração da Vimágua, Armindo Costa e Silva, explicou que “este conjunto de instalações solares resultará numa poupança de energia muito significativa, na redução da emissão de CO2 na ordem das 97 toneladas por ano e uma economia de 45 mil euros na faturação energética anual”. Com estas medidas, destaca o contributo para a estratégia do Município na área da sustentabilidade ambiental, integrado ainda no objetivo nacional do roteiro para a neutralidade carbónica em 2050. Armindo Costa e Silva anunciou também a intenção de reforçar a instalação na ETA de Santa Eufémia de Prazins e a projeção para um conjunto de hidropressores e alguns reservatórios de painéis fotovoltaicos, assim como no novo armazém da oficina da Vimágua.

Nesta lógica da descarbonização, até ao final do mês de fevereiro, está previsto que a frota da Vimágua seja elétrica em cerca de 40%, num total de das 72 viaturas (ligeiras, mercadorias, pesadas e máquinas retroescavadoras). A Vimágua assume o combate às alterações climáticas e para o desenvolvimento de uma economia verde que tenha subjacente a proteção do meio ambiente, de maneira a que o desenvolvimento técnico, tecnológico e industrial promotor da sustentabilidade ambiental, garantindo o bem-estar e a qualidade de vida das populações.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo