Cultura Música Vila Verde

Vila Verde. Xico Malheiro lança disco original a solo: “40 anos a cantar raízes”

(c) DR
Escrito por Joaquim Ribeiro

Xico Malheiro, nasceu em Maio de 1961 em Vila Verde, Braga. Multi-instrumentista, que por influencia do seu pai, começou a tocar cavaquinho por volta dos 4 anos de idade. Com pouco mais de 6 anos tinha, quando pela mão do seu progenitor foi levado a um ensaio do Rancho Infantil, onde ficou e de onde saltou para o Folclore sénior, da terra que o viu nascer. Em Setembro de 1980 foi convidado a integrar a formação do Grupo de Música Tradicional Portuguesa “Raízes”, onde permanece até hoje.

 

(c) DR

 

Projeto “Xico Malheiro e convidados”


Paralelamente dá aulas de cordofones e tem um projeto musical “Xico Malheiro e convidados” em que basicamente dá relevo à musica tradicional portuguesa, dando seguimento ao que já faz no Grupo “Raízes”.
Alem da musica de tradição oral, interpreta também temas de outros canta-autores portugueses como José Afonso, Sérgio Godinho, João Loio, Manuel Freire entre outros.
É normalmente acompanhado por quatro músicos, percussionista, viola baixo, guitarra clássica e viola braguesa, e ainda convida uma voz feminina para interpretar alguns fados.
Como músico tem sido convidado para participar na gravação de CDs / DVDs de outros grupos-músicos como Maria do Ceo (Fadista Galega) A Quella (Musica Tradicional Galega) José Barros – Navegante, Augusto Canário entre muitos outros. 

 

(c) DR

 

Música corre-lhe nas veias

“A música é uma arte que me corre nas veias. Os instrumentos são peças únicas, cuidadas com simplicidade e ao mesmo tempo com um amor incondicional. Disponível para concertos de variados tipos, garanto um serão de qualidade e com um semblante de alegria sem igual. Sei da música e vivo para a música. Obrigado a todos pelo apoio e pelo amor transmitido por cada acorde que toco”, disse Xico Malheiro ao V.
Vem aí CD a solo

Xico falou com o V e revelou que “Esta ideia de gravar surgiu numa viagem de alfa pendular depois de ser convidado num concerto no Olga Cadaval. Na minha companhia seguia o meu amigo José Moças, que me interrogou:

– Porque não gravas um disco? Eu que tinha uma maqueta gravada na casa do amigo Toninho Silva, e disse ao Moças que ligou  aos meus amigos José Barros e José Manuel David e foi assim que começou isto tudo. Tinha esta maqueta que seria, um disco de instrumentais gravados por mim, mas quando chegou às mãos destes dois músicos, alteraram a ideia, e passou a ser um trabalho temático com temas quase em exclusivo da região do Minho. Gravei este trabalho “40 Anos a cantar Raízes” primeiro por uma realização pessoal, depois para comemorar, o quadragésimo aniversario do grupo Raízes”. O disco estará no mercado até meados de Março.

Agradecimentos e colaboração

Este trabalho discográfico tem a colaboração de muitos amigos, como os produtores José Barros e José David, Augusto Canário, Daniel Cristo, Cantadeiras do Neiva, Ida e Volta, Fausto Gonçalves, Mikael Acordeão, Zezé Fernandes, Sérgio Mirra, Sara Vidal, Martinha e Sofia David, Rui Timóteo ,Vasco Sousa, o Italiano Mimo Epifani e o meu irmão Pedro Malheiro.

Comentários

Acerca do autor

Joaquim Ribeiro

Deixar um comentário