Curiosidades

Montalegre. “Misterioso Padre Fontes” celebrou 80 anos de vida

Para assinalar os 80 anos do padre Fontes, o Ecomuseu de Barroso inaugurou a exposição permanente “Alma Mater”. Trata-se de uma visão biográfica que acompanha o trajeto de vida do mais importante e estimado barrosão do nosso tempo. O projeto tem como objetivo dar a conhecer a figura ímpar de António Lourenço Fontes. A vertente humana e religiosa, a veia jornalística e literária, bem como o seu trabalho antropológico e etnográfico entrecruza-se de forma subtil, desvendado um homem que é, essencialmente, um provocador e um agitador de consciências.

Embaixador do Barroso

É o embaixador do Barroso e, ele próprio, tornou-se num dos maiores pólos de atração turística desta região. António Lourenço Fontes é padre, escritor, hoteleiro, é um homem solidário e estudioso das plantas e ervas, emprestou o nome ao Ecomuseu e o seu nome também já é marca de vinho e de um licor com ouro.

“A junção do sagrado e do profano protagonizado por um padre deu mais-valia e chamariz ao congresso. Foi como que a arte de sacralizar o profano e profanar o sagrado”, afirma o sacerdote que nasceu em Cambezes do Rio, em 1940.

Em Vilar de Perdizes, o padre construiu um palco ao qual todos são convidados a subir e onde, anualmente, se reúnem cientistas e investigadores, curandeiros, bruxos, videntes, médiuns, astrólogos, tarólogos, massagistas e ervanários, curiosos e turistas.

A primeira edição do evento realizou-se em 1983, numa altura em que as tradições e a medicina popular antiga estavam a cair em desuso devido à concorrência ou oposição da medicina química ou moderna.

Esta era uma terra isolada, onde faltavam os médicos convencionais e, por isso, a população tinha de recorrer à medicina popular para curar as suas doenças. E esta é também uma terra onde tudo parece estar ligado à superstição, à religiosidade e ao paganismo.

“O primeiro abrir e rasgar das nossas fronteiras foi feito pelo Congresso de Medicina Popular e o sentido de oportunidade do padre Fontes”, salienta o presidente da Câmara de Montalegre, Orlando Alves.

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo