André Almeida Opinião

Opinião. A importância da análise

Redação
Escrito por Redação

No arranque de mais um projeto de Formação Ação, o primeiro dia é dedicado à apresentação de equipas e de empresas que receberão durante um ano formação em várias componentes essenciais para o desenvolvimento e melhoramento de processos nos seus negócios. Nessa introdução abordam-se igualmente temas base mas não menos importantes, que devem ser refletidos e trabalhados e que marcam o ponto inicial dos trabalhos. Esses temas centram-se na análise introspectiva dos negócios, do meio envolvente, dos caminhos a percorrer e dos desafios que surgem neles mesmos.

Tal como na vida, diversas vezes, quer pessoal quer profissionalmente temos de tomar decisões importantes que devem ser ponderadas e analisadas ao pormenor de forma a tomarmos sempre a melhor decisão. Nesse sentido aproveito para destacar duas das principais ferramentas de gestão que ajudam as marcas, os seus gestores a olharem os negócios e a perspetivarem o futuro com outros olhos.

A primeira é amplamente utilizada no mundo dos negócios, a Análise SWOT, que é uma ferramenta que lhe permite fazer um diagnóstico estratégico da empresa no meio em que está implantada e assim conseguir definir os objetivos futuros. As letras SWOT referem-se a Strenghts (pontos fortes), Weaknesses (pontos fracos), Opportunities (oportunidades) e Threats (ameaças).

Numa representação gráfica repartida por quatro partes iguais, o “S” e o “W” são aspetos de índole interna, Pontos Fortes e Fracos da empresa/pessoa. O “O” e o “T” são de índole mais externa, normalmente referentes aos meio envolvente, que são as Ameaças e as Oportunidades do Mercado.

A Análise SWOT é considerada uma ferramenta estratégica devido à amplitude de parâmetros que engloba, permitindo fazer um diagnóstico estratégico da empresa/pessoa.

Esta análise não está estritamente focada no início de qualquer estratégia mas pode e deve ser realizada ao longo do tempo, pois os fatores internos e externos estão constantemente a mudar. Sendo mais comum os fatores externos de se alterarem é cada vez mais importante fazer esta análise. Ela obriga-nos a olhar para dentro, pensarmos em nós, em que somos bons e menos bons, o que temos a melhorar, mas também detetar possíveis ameaças (concorrentes, tecnologias,…) e oportunidades.

O mesmo se pode aplicar a nível pessoal, levando esta análise a conhecermo-nos melhor, as nossas capacidades, fragilidades e como as poderemos ultrapassar.

Outra ferramenta é o Canvas. O modelo Canvas é também bastante utilizado na análise dos negócios numa perspetiva interna e externa e pode ser elaborado em diversos momentos do tempo, permitindo assim adaptar e verificar as alterações ocorridas ao longo do tempo.

Este modelo compreende a análise de várias componentes como os clientes, as fontes de receita, as propostas de valor que a empresa tem disponível para lhes entregar. De um outro lado temos a parte operacional que compreende os recursos necessários, os seus custos e as parceiras estratégicas que são essenciais para que a entrega de valor ao cliente seja cada vez melhor.

Esta é uma ferramenta muito ampla e que num pequeno espaço consegue compreender diversa informação essencial sobre o modelo de negócio de uma empresa, serviço ou produto.

Pode ser trabalhado pela gestão ou de uma forma mais ampla por toda a equipa, reunindo inputs e destacando oportunidades de melhoria.

E o leitor, já utilizou alguma destas ferramentas?

Utilize-as e torne-se uma melhor pessoa/profissional. 😉.

Veja mais artigos de marketing aqui no Semanário V ou na minha página pessoal! 🙂

Partilhe esta notícia!

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação