Braga

Vilaverdense em equipa do IPCA que produziu 10 mil viseiras para hospitais do Minho

O Centro de Investigação em Inteligência Artificial (2Ai) da Escola Superior de Tecnologia (EST) do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave (IPCA), com o apoio da Escola Superior de Design (ESD) e Escola Técnica Superior Profissional (ETeSP), e em parceria com as empresas Lucemplast, Polipop, Riopele e Adilevel, desenvolveram uma metodologia de produção rápida de viseiras de proteção individual para profissionais de saúde.

O protótipo desenvolvido já foi validado por uma equipa clínica do Hospital de Barcelos. A abordagem de fabrico utilizada permite produzir, em tempo recorde, 10.000 viseiras que começam a ser entregues nos próximos dias em diversos hospitais do Minho.

“Dada as atuais necessidades do Serviço Nacional de Saúde, estes dispositivos são essenciais para a proteção dos profissionais e auxiliares de saúde, cuja necessidade aumentou exponencialmente com a atual pandemia do Coronavírus”, comunicou o IPCA.

Junta da Loureira faz agradecimento e reconhecimento

“Deixamos um exemplo: um Loureirense, Fernando Veloso, faz parte da equipa do IPCA que desenvolveu viseiras para os profissionais de saúde dos hospitais do Minho. Sabemos que novos projetos estão a ser testados”, pode ler-se em comunicado.

 

 

(c) IPCA

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo