Destaque

Morais pede a Vilela que retire proposta de subsídio para sino de Igreja de Coucieiro, em Vila Verde

O Semanário V avançou ontem em exclusivo, que o Município de Vila Verde prepara-se para aprovar em reunião de Câmara na próxima segunda-feira, a atribuição de um apoio financeiro de dois mil e quinhentos euros (2.500€) para a aquisição de um sino. A proposta consta da ordem de trabalhos, que o Semanário V teve acesso, para a reunião do executivo vila-verdense, onde é indicado o pedido da Paróquia de São João Baptista de Coucieiro junto do Município, de apoio financeiro para aquisição de um sino novo para a Igreja Paroquial, que está orçado em 13.843,50€.

José Morais, vereador pelo Partido Socialista, enviou hoje um e-mail ao presidente da Câmara Municipal, liderado pelo social-democrata António Vilela, a propor que Vilela retire este assunto da ordem de trabalhos da reunião de câmara.

José Morais fala em falta de sensibilidade da proposta de Júlia Fernandes

Diz Morais que “considerando o momento de crise extrema em que vivemos, esta proposta da senhora vereadora da cultura [Júlia Fernandes] é totalmente desadequada a este tempo de angústia para todos nós e revela uma enorme falta de sensibilidade para com todos os que estão a sofrer duramente os efeitos da Covid-19.” Diz ainda que “em tempos de crise profunda é necessário fazer opções, muitas vezes difíceis” e que Júlia Fernandes “propõe a atribuição de um subsídio de 2.500 €, à paróquia de Coucieiro, para a aquisição de um sino de Igreja.”

Para José Morais “a Câmara tem de centrar os seus recursos no combate à pandemia e no apoios aos vila-verdenses, principalmente aos mais desfavorecidos, (…) se por um lado temos de combater energicamente a pandemia, por outro os vila-verdenses, as instituições e as empresas estão a viver momentos de enorme aperto financeiro, o qual poderá transformar-se, de seguida, numa crise de desemprego em grande escala.”

Apesar de Morais reconhecer o “trabalho que as diversas paróquias do concelho realizam e a importância de valorizar o nosso património religioso”, para o vereador, a “paróquia de Coucieiro entenderá que esta não é a altura certa para se discutir a atribuição de um subsídio desta natureza.”

José Morais apela ao bom senso de António Vilela

No e-mail pode ler-se que o vereador socialista apela “ao bom senso do senhor presidente da câmara” e solicita “que retire da ordem de trabalhos a proposta da senhora vereadora da cultura de se atribuir um subsídio de 2.500 € para a compra de um sino de igreja.”

Sino de Igreja – Reprodução © DR

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo