Destaque

Opinião. Como receber uma encomenda em casa de forma segura em plena crise do coronavírus?

Nas últimas semanas temos enfrentado a maior batalha de saúde pública dos últimos anos. Se, por um lado, inicialmente, parecia remota a possibilidade de um problema tão grave atingir o nosso país, nos dias de hoje essa passou a ser a nossa realidade. E assim surge a necessidade de a população se adaptar ao contexto pandémico com tranquilidade e, acima de tudo, muita responsabilidade. Embora frequentemente a mudança caminhe ao lado do medo, todos devemos perceber que as recomendações procuram proteger-nos e aos demais.

As restrições impostas pelas entidades competentes no âmbito da compra de bens (mais ou menos essenciais) têm provocado um aumento exponencial de encomendas online, permitindo ao utilizador adquirir os produtos cumprindo o isolamento recomendado. Nesse sentido, surge a necessidade de esclarecimento acerca da forma mais correta de receber uma encomenda em casa de forma segura.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a probabilidade de um indivíduo infetado contaminar mercadorias comerciais é reduzida e o risco de uma pessoa ficar infetada com COVID-19 através de um pacote que foi movido, transportado e exposto a diferentes condições térmicas e ambientais também é baixo. Ainda assim, as dúvidas científicas relativamente à possibilidade de sobrevivência do vírus em superfícies remetem-nos para a necessidade de cuidados extraordinários.

1) Devemos aceitar a encomenda em mãos? Efetivamente, se possível, o mais seguro será o estafeta deixar os artigos à porta. Depois da encomenda ser entregue, deve ser aberta e de seguida as mãos devem ser bem lavadas. Posteriormente os artigos devem ser retirados e as embalagens devem ser colocadas no lixo. Por fim, deve-se lavar novamente as mãos. Durante todo o processo de recolha e abertura da encomenda, as mãos nunca devem tocar a face.

2) É necessária a utilização de luvas? Se todo o processo referido anteriormente for cumprido corretamente, o uso de luvas é considerado desnecessário. Ainda assim, se optar por fazê-lo não esqueça de lavar as mãos após a retirada das luvas, bem como de não tocar na face até à fase final do procedimento de higienização das mãos.

3) A higienização das mãos é suficiente? A resposta é não. Além dos cuidados anteriores, é importante lavar a superfície onde foi colocada a encomenda. Para isso, poderá desinfetar com lixívia, por exemplo, e depois deverá lavar as mãos novamente.

4) E se for necessário assinar a encomenda? Primeiramente é importante manter a distância de segurança recomendada. O recetor da encomenda não deve utilizar a caneta do estafeta, devendo usar a sua própria caneta. No caso de ser necessária assinatura com caneta em ecrã táctil (procedimento cada vez mais comum), deve-se pegar na caneta com um papel ou com uma luva, seguidamente colocá-los no lixo e lavar imediatamente as mãos.

5) E o pagamento? Preferencialmente, e sempre que possível, deve ser realizado online.

Certamente que estas medidas podem parecer exageradas, todavia a prevenção da contaminação é um dos pilares fundamentais no controlo da pandemia. Se cada pessoa tomar as precauções recomendadas, estará a salvaguardar a saúde dos mais vulneráveis.

Não deixe que o medo tome conta de si, mas seja responsável nas suas atitudes. Só com a ajuda de todos poderemos minimizar os danos da crise que estamos a enfrentar. Proteja-se a si e aos outros!

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo