Destaque

Paulo Marques (CDS) denuncia “ganância sem ética” de supermercados em Vila Verde

“Os preços dos alimentos em Vila Verde em tempo pandemia Covid-19”

Paulo Marques, líder do CDS de Vila Verde, veio a público denunciar o “grande aumento de preços em alguns bens (carne, legumes, vegetais, etc)” dos super e hipermercados do concelho.

“Ganância sem ética, verdadeiramente desprezível”

Através de comunicado enviado à redação do Semanário V, o centrista diz que mesmo que haja “as supostas justificações lógicas que houverem, nada atenua esta ganância sem ética, verdadeiramente desprezível e, neste caso em particular em período de pandemia, é desumana. Lembramos que há vila-verdenses a passar muito mal estes dias, já sem dinheiro para se alimentarem bem.”

Paulo Marques tece duras críticas aos comerciantes destas superfícies comerciais, dizendo que “sabem perfeitamente que as pessoas estão limitadas nas suas vidas, com medo da falta de bens, inseguras quanto ao seu futuro profissional e cada vez com menos dinheiro para gastar em alimentação consigo, com os seus filhos e as suas famílias. Em vez de serem empresas éticas e honradas, de valores humanistas, são aproveitadores sem escrúpulos que não pensam duas vezes para ganhar mais dinheiro, mesmo que seja através da especulação de preços e à custa da miséria alheia e do desespero das pessoas.”

“Uma coisa o CDS sabe: tivéssemos poder político para tal, sentávamos os responsáveis por estas superfícies em Vila Verde e teríamos uma boa e muito séria conversa sobre este tema”, remata.

“Comprei três clementinas num hipermercado e paguei 1,40€. Duas vinham podres”

Na rede social Facebook, Paulo Marques dá conta de um caso concreto que lhe aconteceu: “comprei três clementinas num hipermercado em Vila Verde e paguei 1,40€ e, ainda por cima, duas vinham podres.

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo