Destaque

Há esperança para utentes do Lar do Trabalhador. Patrício Araújo parece não gostar

Há esperança para utentes do Lar do Trabalhador. Patrício Araújo parece não gostar

O Lar do Trabalhador, na Vila de Prado, Vila Verde foi notícia esta semana pelos piores motivos: duas pessoas morreram este mês na instituição. Um homem com 90 anos na quinta-feira passada, e uma mulher com 82, na passada sexta-feira. Ambos tinham vários problemas de saúde.

Já na passada segunda-feira, o Semanário V noticiou um foco de contágio coletivo de infeção pelo novo coronavírus no lar, estimando-se que entre utentes e funcionários houvesse cerca de 20 pessoas infetadas.

Utentes podem ser transferidos para a antiga Residencial Martins, sob orientação do Hospital da Misericórdia

Ao que o Semanário V apurou, o delegado de saúde de Vila Verde, Dr. José Manuel, terá solicitado à Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde que disponibilizasse um espaço para poder acolher todos os utentes do Lar do Trabalhador, de forma a que aquela instituição pudesse fazer um trabalho de desinfestação ao Lar.

Bento Morais, provedor, em declarações ao Semanário V, confirmou o pedido e diz que disponibilizou de imediato a antiga Residencial Martins (agora propriedade da Santa Casa), indicando ainda que está previsto amanhã de manhã o delegado de saúde fazer uma visita ao local para avaliar se estão reunidas as condições necessárias para o efeito. “O delegado de saúde pediu-me a ver tínhamos disponibilidade de espaço, e eu sugeri a Residencial Martins”. Bento Morais diz ainda que não teve qualquer contacto com o padre João Correia, presidente do Lar do Trabalhador, relativamente a este assunto.

O Semanário V contactou o padre João Correia, mas este recusou-se a tecer qualquer comentário à comunicação social. “A minha função é articular os problemas e resolvê-los com a tutela. Mais não consigo”, disse.

António Vilela diz que maior problema são os recursos humanos

António Vilela, edil, disse hoje à Rádio Voz do Neiva que o maior problema naquele lar “são os recursos humanos. Os trabalhadores estão com doença comprovada e é necessário proceder à sua substituição. O que se está a tentar fazer com a direção do lar é encontrar solução para substituir os trabalhadores que estão positivos, sintomáticos e a precisar de descanso”. Explicou ainda António Vilela que inicialmente o plano era ter dois espaços em áreas diferentes para separar os idosos infetados dos não-infetados, mas todos os utentes testaram positivo à Covid-19.”

Patrício Araújo não quer os utentes no Hospital da Misericórdia

Segundo testemunho revelado ao V, que prefere manter o anonimato por medo de represálias, Patrício Araújo, vereador na Câmara Municipal de Vila Verde, não estará de acordo com esta estratégia do delegado de saúde de Vila Verde, para transferir os utentes e ficarem a “cargo” do Hospital da Santa da Misericórdia de Vila Verde.

Patrício Araújo terá mesmo posto em causa a futura cedência do terreno, apalavrada e pertencente à autarquia, para a construção do novo lar, se tal viesse a acontecer.

O Semanário V tentou hoje insistentemente contacto com o Patrício Araújo, a fim de confirmar ou desmentir esta acusação, mas o mesmo não devolveu a chamada. O V deixou no entanto mensagem a solicitar contacto urgente.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo