Destaque

País. Líder do CDS não vai ao parlamento à sessão do 25 de Abril

A decisão de assinalar a Revolução do 25 de Abril com uma sessão solene no Parlamento, com a presença de cerca de 130 pessoas, em plena pandemia de Covid-19, está a revoltar muitas pessoas.

O líder do CDS diz que quem tem sido pedido aos portugueses que “não participem em celebrações religiosas como a Páscoa, que não abracem os seus filhos, pais e avós, que não se despeçam dos seus entes queridos que morreram, que fiquem fechados em casa mesmo que isso tenha levado milhares ao desemprego, que fechem as empresas, e que não vão trabalhar ainda que não tenham como pagar as suas contas”.

“Não sendo deputado, irei comemorar a data como todos os portugueses que estarão confinados e prescindirei do lugar que o Protocolo do Estado me reservaria“, aponta, acrescentando que apenas estará presente na sessão um elemento do grupo parlamentar do CDS-PP. “Portugal pede-nos que estejamos à altura do nosso povo, mas não que estejamos acima dele”, conclui.

 

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo