André Almeida

Opinião. Covid-19: Nem tudo é mau

Espero que o leitor se encontre bem!

Este tempo que estamos a viver tem trazido enormes desafios e inúmeras incertezas que até os “maiores” especialistas em análises e prognósticos são capazes de prever.

De facto, esta pandemia provocada pelo novo coronavírus afetou todos, ricos e pobres, ocidentais e orientais, de esquerda ou de direita, não havendo ninguém que não tenha sido afetado pelas suas consequências, uns com mais, outros com menos impacto.

É sabido também que é nos momentos mais difíceis que se conseguem criar soluções, alternativas, novas orientações que permitem quebrar o sistema e alcançar objetivos. A II Grande Guerra foi exemplo disso, onde a Alemanha foi completamente dizimada pelas forças da aliança atlântica e na qual se conseguiu reerguer e tornar a potencial mundial que é hoje.

Também nós podemos ter essa capacidade de superação, de nos reinventarmos, de encontrar soluções alternativas em pleno século XXI e em plena incerteza, provocada pela pandemia no novo coronavírus, Covid-19.

Serve o artigo desta semana para mostrar que há soluções, que há alternativas para continuarmos a trabalhar, contribuirmos com soluções, que levam a manter empregos e acima de tudo a garantir o pão na mesa.

Então, umas das alternativas é o teletrabalho e todas as oportunidades que poderão ser aproveitadas com esta metodologia de trabalho. J a abordei aqui num artigo no Semanário V, com a utilização mais racional e eficaz das tecnologias da informação. Nunca tanto esta temática foi debatida e utilizada como agora. Segundo estudos divulgados, grande parte dos trabalhadores dizem até preferir esta forma de trabalhar e as entidades patronais afirmam ser mais eficientes nos seus processos produtivos.

Ainda na linha da digitalização ressalvo a quantidade de conteúdos online que têm sido disponibilizados e que muitos deles estão acessíveis a qualquer pessoa que queira aprender uma nova ferramenta, uma nova técnica ou língua. São inúmeros os profissionais que se colocaram ao dispor para transmitir conhecimento assim como os grupos sociais que existem e se criaram para debater e entreajudar. Um dos quais faço parte é por exemplo o Movimento Maker – Portugal, onde um número cada vez maior de pessoas se juntam para produzir equipamentos de proteção individual para doar a hospitais e profissionais de saúde na linha da frente no combate à pandemia.

As grandes organizações como Microsoft, Google, disponibilizam produtos e serviços gratuitamente para que as pessoas e organizações possam aceder a soluções de forma mais acessível ou mesmo gratuita. Um exemplo é a plataforma Tech Soup Portugal que ajuda Organizações sem Fins Lucrativos (ONG’s) a angariarem apoios. Por exemplo a Google oferece $10.000 dólares por mês em Ads (anúncios) até outubro, a ONG’s para promoverem e angariarem apoios através da internet.

Noutro exemplo na linha da entreajuda destaco a iniciativa Preserve.pt que se dedica a criar oportunidades para os negócios locais manterem as suas estruturas e aguentem melhor estes tempos de incerteza. As pessoas podem comprar vouchers a lojas de comércio local e consumi-los num prazo de 2 anos, o que contribui para uma maior sustentabilidade destes pequenos negócios nestes tempos difíceis. Qualquer negócio pode-se inscrever no site.

São inúmeras as oportunidades que se criaram com o isolamento social, por exemplo um personal trainer que agora dá aulas ao vivo por videoconferência, uma mercearia que agora prepara cabazes personalizados e entrega ao domicílio, uma empresa de entregas ao domicílio que se criou devido ao aumento dessa necessidade de serviço, entre muitos outros.

Em suma, em alguns casos foi preciso haver uma pandemia para mudar mentalidades, motivar para a mudança e encontro de alternativas, porque no final de contas o que interessa são as pessoas e o seu bem-estar, física e psicologicamente.

Há oportunidades que surgiram e devem ser agarradas! A vida continua e esperamos que para melhor no fim disto tudo!

Espero que este pequeno artigo tenham ajudado a olhar este tempo com alguma esperança!

Veja mais artigos de marketing aqui no Semanário V ou na minha página pessoal!  🙂

 

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo