Braga

Doar e Cuidar: nasceu em Braga projeto solidário para ajudar os lares

Chama-se “Doar e Cuidar” o projeto que floresceu no contexto da pandemia para ajudar lares e instituições ligadas à terceira idade no concelho de Braga, um dos setores mais flagelados pelo novo coronavírus.

Trata-se de uma plataforma online onde as pessoas e as empresas podem fazer um donativo que vai contribuir, numa fase inicial, para apoiar 10 instituições bracarenses.

Ao Semanário V, a mentora deste projeto, Maria Fernanda Santos, explicou a motivação: “comecei a perceber as dificuldades de adaptação que as instituições vivem. Há emoções que se criam, tanto ao nível de órgãos diretivos, como de colaboradores, como de utentes. Essas preocupações levam a um desgaste muito grande e também a um aumento de custos”.

A direção da iniciativa foi para “os idosos e os lares, até porque são as pessoas mais atingidas com esta problemática”.

Assim nasceu o projeto, para o qual Maria Fernanda Santos procurou ajuda: “procurei empresas que, sem me conhecerem, acreditassem na minha ideia”.

Encontrou a ItVintage, que está a criar e a atualizar constantemente a plataforma, e a Costeira – Engenharia e Construção, que rapidamente se associou à iniciativa.

“Numa fase inicial, quando comecei a pensar neste projeto, a ideia era transformar as empresas de Braga em empresas solidárias. Esta foi a altura ideal, o projeto era mesmo para criarmos uma plataforma e no futuro criarmos uma fundação de empresas solidárias do concelho de Braga”, assumiu Maria Fernanda Santos.

A também farmacêutica acredita que “a responsabilidade social não está só no papel”.

Inicialmente, o projeto foi pensado só para empresas mas “a dada altura percebemos que no contexto atual podíamos alargar a toda a população que queira doar, dar um bocadinho de si”.

O processo é relativamente simples: entrar no site do Doar e Cuidar, clicar no botão “Doar” e escolher a forma como se quer fazer a operação. Há opção de transferência bancária, PayPal/cartão de crédito e também MbWay, que “ainda não está disponível por motivos logísticos, mas vai estar em breve”, garantiu Fernanda Santos.

A mentora do Doar e Cuidar diz que o processo “dá trabalho porque é uma plataforma em que a pessoa tem de fazer a transferência, colocar números, dados de cartão. Percebo que isso tem um tempo, mas o tempo que dedicamos a doar o que quer que seja demora um bocadinho. Mas a satisfação final de terminar a operação e dizer “já está” é importante, e é importante que as pessoas a sintam”.

O valor angariado destina-se a cobrir as despesas extras resultantes com os recursos humanos, materiais e bens de consumo extra para as necessidades básicas dos utentes e colaboradores.

Nesta primeira fase, vão ser apoiadas dez instituições concelhias: a Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos do Vale D’Este, o Centro Social P. David de Oliveira Martins, o Asilo de São José, o Centro Comunitário De São Martinho De Dume, o Centro Cultural e Social de Santo Adrião, o Centro Social de São Lázaro, a Associação de Solidariedade Social São Tiago de Fraião, o Centro Social Paroquial de Sobreposta, o Lar Conde de Agrolongo e o Patronato de São Pedro de Maximinos.

A ideia é apoiar estas dez e, ao atingir o valor mínimo de 50 mil euros doados, incluir automaticamente outras dez instituições, e assim sucessivamente até chegar a todas as IPSS do concelho de Braga.

www.doarecuidar.pt

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo