Destaque

Covid-19. Misericórdias portuguesas estabilizam vírus nas Santas Casas

Tendo concluído a semana passada os testes a todos os utentes e colaboradores, a semana de 25 a 31 de maio, as Misericórdias não registaram novos óbitos nas suas estruturas residenciais. Num universo com cerca de 35.000 utentes e de cerca de 29.000 colaboradores, as Misericórdias Portuguesas mantêm inalterado o número de mortes (128 casos) desde o início da pandemia em Portugal. Do total de óbitos ocorridos, 96 ocorreram em hospitais e 32 em unidades das Misericórdias.

O relatório semanal da UMP, destaca ainda uma recuperação significativa de um total de 993 pessoas, das quais 589 são utentes e 404 colaboradores.

O Presidente da UMP, Manuel de Lemos, realça que “num universo de 35 mil utentes, ter uma taxa de letalidade de 0,4% durante uma pandemia que muito afetou a população idosa em todo o mundo, reforça o orgulho no trabalho que as Misericórdias Portuguesas têm vindo a fazer”. “Quero agradecer o trabalho que os provedores e profissionais das Misericórdias tiveram para manter as nossas unidades, os nossos lares, os nossos idosos todos protegidos. O resultado do esforço de todos é algo extraordinário que dá nota da dimensão do movimento das Misericórdias e daquilo que estamos a fazer neste momento”.

Para aferir e adaptar o plano de contingência de acordo com a evolução da pandemia, a UMP vai continuar a recolher informação atualizada de capacitação e análise do impacto da pandemia nas Misericórdias.

 

(c) Frame

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo