Braga

Braga. Contabilista corrompe inspetor das finanças com secretária antiga e duas cadeiras

Em nota publicada pela Procuradoria-Geral Distrital do Porto, o Ministério Público informa que deduziu acusação contra dois arguidos, imputando a um o crime de corrupção ativa e a outro o crime de corrupção passiva.

O Ministério Público considerou indiciado que um dos arguidos, contabilista de empresas que estavam a ser alvo de inpeções tributárias e de inquéritos criminais, em novembro e dezembro de 2015 contactou o outro arguido, inspetor tributário na Direcção de Finanças de Braga, para que este contactasse os inspetores incumbidos das inspecções às ditas empresas, no sentido de ser posto ao corrente do andamento das mesmas e de que nos relatórios constassem as informações que pretendia.

Indiciou ainda o Ministério Público que o contabilista ofereceu ao inspetor uma secretária antiga e duas cadeiras, “convencido de que, assim, este agiria no intuito de favorecer as sociedades no âmbito das inspeções tributárias.”

Segundo o Ministério Público o a inspector aceitou as ofertas, no valor de 1.000 euros, que colocou em sua casa, disponibilizado-se a dar as informações que pudesse.

DR

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo