Braga

Furtaram dois veículos para reconstruir acidentados importados da Alemanha e vendê-los. Foram apanhados

O Ministério Público de Braga deduziu acusação contra três arguidos imputando a dois deles, a prática de um crime de burla qualificada, de dois crimes de receptação, de três crimes de falsificação de documento e de dois crimes de falsas declarações e a outro, a prática de dois crimes de furto qualificado.

O Ministério Público considerou indiciado, em síntese, que dois arguidos compraram ao outro, sabendo da sua proveniência ilícita, dois veículos automóveis que este furtara – um Mini Cooper, no valor de 23.000 euros, furtado em setembro de 2016 de uma garagem colectiva em Santo Tirso, e um BMW no valor de 28.000 euros, furtado em janeiro de 2018 de um stand automóvel em Santo Tirso.

De acordo com a acusação, estes dois arguidos, usando para o efeito duas oficinas em Moreira de Cónegos e uma em Guimarães, serviram-se depois dos dois veículos para com as suas peças e partes dos mesmos procederem à reconstrução de dois veículos automóveis da mesma marca e modelo, que tinham importado acidentados da Alemanha, alterando no processo, entre o mais, as marcações correspondentes à identificação dos veículos furtados para que ficassem a corresponder às dos importados.

Um dos carros chegou mesmo a ser vendido por 24.450 euros

Indicia ainda o Ministério Público que estes arguidos apresentaram os veículos importados assim transformados a processo de legalização perante as autoridades portuguesas, logrando a sua importação e a atribuição de documentação, tudo com o propósito último de os vender a terceiros; e que chegaram mesmo a vender o Mini Cooper a um particular, pelo valor de 24.450 euros, como se de veículo importado, ligeiramente acidentado e reparado, mas com origem lícita, se tratasse.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo