Guimarães

Guimarães. A Cultura está de regresso com medidas de segurança e confiança

A Oficina concebeu um programa excecional para tempos excecionais. A fruição das artes ocupará, entre junho e julho, pátios, jardins e salas de museu com uma programação de artes performativas, visuais e ações formativas. Foram trabalhadas as escalas, a diferente natureza das propostas e sobretudo o contexto de segurança da sua apresentação e vivência, para que a experiência da relação com os públicos seja integral.

Neste tempo de desconfinamento, subsistem medidas de segurança e confiança. “Sentimos que Guimarães, e as pessoas, precisam de voltar a ter cultura e agenda. Estamos a fazer este caminho, com um regresso leve e a espaço improváveis, numa interligação com artistas locais”, assinalou a Vereadora da Cultura, Adelina Pinto, na conferência de imprensa realizada esta terça-feira, na praça coberta do Centro Cultural Vila Flor.

O programa contempla momentos, apenas, para as sextas-feiras (dias 19 e 26 de junho e dias 3 e 10 de julho). “Procuramos os finais de tarde de sexta-feira para criar estes momentos, no sentido de não concorrer com outros momentos e sobretudo ao fim de semana”, explicou o diretor artístico do Centro Cultural Vila Flor, Rui Torrinha.

Estão agendados os espetáculos The BJazz Choir (19 de junho, às 19h00 nos Jardins do Palácio Vila Flor); Madame – Conversas Privadas em Espaço Público com António Alvarenga e Leonor Barata (dia 26 de junho, às 18h00, no Terreiro do Palácio Vila Flor) e Benjamim (dia 26 de junho, às 19h00, no pátio do CCVF). Em julho, está agendado o concerto de Minta & The Brook Trout (dia 3, às 19h00, nos Jardins do Palácio Vila Flor) e o concerto de Pedro Emanuel Pereira (dia 10, às 19h00, no Pátio do CCVF). Nesse mesmo dia, às 21h45, será exibido o filme-concerto “Surdina”, de Rodrigo Areias, com música de Tó Trips e em colaboração com o Cineclube de Guimarães.

A entrada para estes espetáculos é livre, com lotação dos espaços a variar entre as 40 e 70 pessoas, estando no entanto salvaguardada a emissão de grande parte dos concertos via streaming, garantindo que todos podem assistir.

No âmbito deste programa estão ainda previstas visitas e oficinas com propostas na Casa da Memória de Guimarães, no Centro Internacional das Artes José de Guimarães e no Palácio Vila Flor.

Uma das novidades anunciadas por Rui Torrinha é o regresso de Teresa Salgueiro a Guimarães, em setembro, com um projeto de criação realizado com a Orquestra de Guimarães para assinalar o 15.º aniversário do Centro Cultural Vila Flor.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo