Ambiente

Minho. Idosos ajudam na preservação de espécies raras nos rios Cávado e Neiva

O estudo da UMinho sobre papel da memória em espécies ameaçadas foi publicado na revista “Science of the Total Environment” Ronaldo Sousa, investigador doCBMA – Centro de Biologia Molecular e Ambiental professor do Departamento de Biologia da Escola de Ciências da Universidade do Minho é o autor do estudo que refere que as pessoas mais velhas são uma importante fonte de informação ecológica, mesmo em espécies raras ou localmente extintas, e o seu saber deve chegar às novas gerações, para que haja uma maior consciência e defesa da biodiversidade.

O trabalho baseou-se em 200 entrevistas feitas em 2019 nas aldeias junto aos rios Cávado e Neiva.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo