Braga

Estátua do Cónego Melo em Braga vandalizada no último fim-de-semana? É falso!

Foi divulgado nas redes sociais e na imprensa que a estátua do Cónego Melo, em Braga, tinha sido vandalizada na madrugada de 14 de junho. O Polígrafo da SIC analisou, e diz que se trata de “fake news”.

As inscrições, de cariz insultuoso e reivindicação política não são de agora. O Polígrafo confirmou junto de vários residentes em Braga que a estátua do Cónego Melo já tinha inscrições com tinta vermelha desde há meses.

Marta Moreira diz ao Polígrafo que “a questão aqui não é se a estátua foi ou não vandalizada. Ela é pichada, de facto, constantemente. No 25 de abril tem acontecido sempre nos últimos três anos, pelo menos, desde que cá sou moradora”. Adianta ainda que “a população sabe que a estátua se encontra assim, por limpar, precisamente desde o último 25 de abril. É por isso alarmante constatar que está em curso uma tentativa de enganar a população, levando-a a crer que tal se deve às últimas manifestações e não a uma revolta popular, já antiga, desde a origem da estátua que é bem recente, dadas as conhecidas associações entre o personagem e associações terroristas de extrema-direita pós-25 de abril que causaram a morte de muita gente. Parece-me imperativo repor a verdade.”

Já a Polícia de Segurança Pública (PSP) confirmou ao Correio da Manhã que a estátua de Cónego Melo vandalizada “está assim desde o 25 de abril”, explicando que as autoridades não receberam qualquer queixa de vandalismo.

O caso ganhou contornos políticos

André Ventura, deputado e líder do Chega, escreveu na sua página de facebook que “isto já só vai lá à bastonada. Para verem que em Portugal não se brinca!”

Já Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, em declarações à Lusa dizia que as  “pichagens” feitas na estátua do cónego Eduardo Melo, em Braga, são “recorrentes” e não se enquadram nesta “vaga recente de atos de vandalismo contra determinados símbolos”. No seguimento da reportagem da Lusa, a PSP dizia que a última situação [de vandalismo à estátua] que lhe foi comunicada foi em 25 de abril e, por esse motivo, esta força policial acreditava que estas “pichagens” eram referentes a essa data.

O edil achou “estranho” esta informação da PSP porque a autarquia, sempre que tem conhecimento destas situações, procede nos dias seguintes à sua limpeza: “acho estranho que se reporte a abril porque somos imediatamente alertados quando estas situações acontecem e atuamos em conformidade.”

Esta segunda-feira foi mesmo vandalizada

Coincidência ou não, após as notícias falsas se propagarem pela internet, a estátua foi mesmo vandalizada esta semana com inscrições “25, Abril, P, Max, Assassino e Facho.” As fotografias foram enviadas pelo ativista ambiental e praticante de plogging, Carlos Dobreira, ao Semanário V (fotografias tiradas às 08h56 de 15.06.2020).

Estátua do Cónego Melo em Braga vandalizada 15062020

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo