Barcelos

Barcelos. Empresa burlada em 10 mil euros por e-mail

Ministério Público (MP) de Braga acusou dois arguidos residentes em Glasgow de um crime de burla qualificada, de falsidade informática e de acesso ilegítimo.

O MP indiciou que os arguidos fizeram parte, juntamente com outros indivíduos, de um esquema de obtenção enganosa de-mails pertencentes a terceiros, nomeadamente de empresas, e de, com tais elementos, de acesso às contas de correio electrónico.

Refere a acusação que no âmbito deste esquema, o grupo de que fazia parte os arguidos agora acusados obteve, no ano de 2017, as credenciais de acesso à conta de correio electrónico de uma empresa portuguesa com sede em Barcelos. Usando estas credenciais, o grupo acedeu ao correio electrónico recebido e verificou a existência de um e-mail enviado por fornecedor da empresa, com fatura para pagamento de serviços prestados, no valor de 10.656,80 euros, e com indicação do respectivo IBAN para que fosse operada a transferência.

Descreve ainda a acusação, que o grupo de indivíduos apagou este e-mail, substituindo-o por outro, enviado de e-mail que eles próprios criaram simulando a mesma proveniência, anexando a mesma fatura mas dando, para a transferência, IBAN de contas tituladas pelos arguidos.

Por fim, indiciou o MP que a empresa portuguesa, crente que este e-mail era legítimo e proviera efetivamente do seu fornecedor, determinou em outubro de 2017 a transferência bancária da referida quantia usando o IBAN relativo à conta bancária dos arguidos, os quais, juntamente com o restante grupo de que faziam parte, dela se apropriaram.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo