País

Covid-19. Oito em cada dez profissionais de saúde infectados recuperaram

Oito em cada vez profissionais de saúde infetados com covid-19 já recuperaram, segundo um balanço feito hoje pelo secretário de Estado da Saúde, que aponta para um total de 3.280 infetados já recuperados.

Segundo contas do Ministério da Saúde, 3.280 profissionais de saúde “infetados com coronavírus já recuperaram, ou seja, mais de 81%”, sublinhou o secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, durante a conferência de imprensa regular de balanço da situação epidemiológica de covid-19 em Portugal.

O secretário de Estado da Saúde sublinhou o reforço de recursos humanos no Serviço Nacional de Saúde (SNS) desde que surgiram os primeiros casos em Portugal, no início de março: As unidades de saúde contam agora com “mais 3.900 profissionais de saúde”.

Outro dos assuntos abordados hoje foi a situação nos lares: os casos de utentes e funcionários infetados continua a diminuir, segundo Lacerda Sales, que disse existirem casos registados apenas em 5,5% das estruturas residenciais para idosos, o que corresponde a 153 lares.

Mantêm-se a “tendência de decréscimo”, afirmou o secretário de Estado, sublinhando que o MS “não desiste de proteger os mais vulneráveis”.

Desde o aparecimento dos primeiros casos de covid-19 em Portugal, no início de março, mais de 6.600 doentes dos hospitais do Serviço Nacional de Saúde foram transferidos para Unidades de Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados, sublinhou António Lacerda Sales.

Além destas transferências, o secretário de Estado observou ainda que, desde 9 de março, foram encontradas “620 respostas sociais que permitiram libertar camas hospitalares”.

De acordo com o boletim da Direção-Geral de Saúde (DGS), registaram-se até hoje 46.818 casos de infeção confirmados e 1.662 mortes.

Em relação a domingo, Portugal regista hoje mais duas mortes e 306 novos casos de infeção por covid-19 em relação a domingo, 254 dos quais na Região de Lisboa e Vale do Tejo, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS).

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo