Braga

Braga. INL investiga diagnóstico inovador e não invasivo de deteção de cancro

(c) Direitos reservados

O INL – Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia e a spin-off RUBYnanomed acabam de receber o prestigiado Fundo Caixa Impulse Consolidate para apoio na luta contra o cancro.
O projeto, liderado pela investigadora do INL Lorena Diéguez, está a desenvolver um sistema automatizado para diagnóstico não invasivo e para a monitorização constante de pacientes oncológicos no sentido de conseguir detectar os tumores antes sequer de os mesmos terem a oportunidade de se formar. As metástases são responsáveis por 90% das 9,6 milhões de mortes anuais relacionadas com cancro em todo o mundo.

O principal motivo por detrás desta estatística é o facto de a disseminação precoce do cancro muitas vezes não ser detectada pelas tecnologias existentes, tais como como biópsias de tecidos para confirmar o subtipo de cancro, e que não podem ser realizadas regularmente. Para além disso, os medicamentos de terapia oncológica não são eficazes em 75% dos casos.

A solução encontrada pelo INL e pela RUBYnanomed passa por permitir uma monitorização regular e não invasiva dos pacientes através da tecnologia de biópsia líquida que isola e classifica automaticamente as células cancerígenas que estão em circulação na corrente sanguínea e que têm a capacidade de se fixarem noutros órgãos, dando origem a novos tumores, num processo silencioso que este projecto conseguiu “desmascarar”.

Essas células tumorais circulantes, ou CTCs, são responsáveis ​​pelo processo de metástase e a respetiva análise fornece informações em tempo real sobre a progressão do cancro, permitindo a previsão da agressividade da doença e a resistência à terapia oncológica.

O protótipo foi já testado com sucesso em pacientes, tendo demonstrado maior sensibilidade do que as tecnologias existentes, conseguindo mesmo detectar metástases 6 meses a 1 ano antes do que atualmente é possível em contexto clínico. O apoio do CaixaImpulse Consolidate vai permitir ao INL, juntamente com a RUBYnanomed, finalizar um ensaio clínico de grandes dimensões e demonstrar a utilidade clínica do sistema, no sentido de promover o desenvolvimento do produto e obter a certificação CE. A tecnologia está licenciada para a empresa spin-off do INL – RUBYnanomed – fundada em 2018 e liderada por uma equipa integralmente constituída por jovens mulheres cientistas, apaixonadas por conseguir resultados para o benefício dos doentes e da sociedade. Lorena Diéguez sente-se privilegiada “por ver o nosso projeto reconhecido pelo prestigiado programa CaixaImpulse Consolidator. Este apoio é uma oportunidade única de fazer avançar a tecnologia do INL e da RUBYnanomed, melhorar o produto, expandir a nossa empresa e, finalmente, levar esta tecnologia inovadora aos doentes”. Um total de três projetos da Caixa Impulse Consolidate foram premiados nesta edição. Dois da Catalunha (Espanha) e o INL (Internacional), com sede em Braga, Portugal, no valor de 300 mil euros cada.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo