Curiosidades

Covid-19. GNR interrompe festa ilegal com mais de 200 pessoas no Algarve

(c) Direitos reservados

A Guarda Nacional Republicana (GNR) interrompeu no domingo uma festa ilegal com mais de 200 pessoas em Almancil, no Algarve, cujos promotores tinham sido advertidos para não realizarem o evento privado, promovido nas redes sociais.
Em comunicado, a GNR especificou que os promotores do evento foram “previamente alertados face às medidas em vigor devido à pandemia da covid-19 e advertidos para não realizarem a festa”, tendo a autoridade de saúde emitido parecer negativo para a sua realização, “por não estarem salvaguardadas todas as medidas preventivas, de proteção e segurança exigíveis”.

Apesar de terem sido advertidos, “os organizadores prosseguiram com o evento, tendo os militares da GNR chegado ao local e terminado imediatamente com a festa, ordenando a todas as pessoas que abandonassem o local”, indicou a guarda.

A GNR adiantou que a festa tinha sido amplamente divulgada pela empresa organizadora nas redes sociais, sendo a entrada exclusiva a clientes com reserva de mesa e a localização transmitida apenas 12 horas antes do seu início, contando com diversos artistas convidados.

Os organizadores da festa foram identificados, tendo o processo sido remetido para o tribunal e a GNR elaborado também um auto de contraordenação, uma vez que o evento não dispunha de licença especial de ruído emitida pela Câmara Municipal de Loulé, no distrito de Faro.

A operação dos militares do Destacamento Territorial de Loulé contou com o reforço do Grupo de Intervenção e Ordem Pública (GIOP) e do Grupo de Intervenção Cinotécnico (GIC) da GNR, depois de diversas denuncias a informar a realização da festa.

O Correio da Manhã avançou que o evento estava a realizar-se no Medusis Club, em Vale do Lobo. Os militares da GNR efetuaram diligências e conseguiram apurar o local da festa, bem como a forma de aceder à mesma.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo