País

País. Militar da GNR esfaqueado no peito durante intervenção em desavença familiar

(c) Direitos reservados

Um militar da GNR do Posto Territorial de Campo Maior, em Portalegre, foi agredido por um individuo com uma arma branca na zona do peito durante um desentendimento familiar entre o agressor, que alegadamente sofre de esquizofrenia, e a mãe, com quem reside. Sem que nada fizesse prever, o agressor foi buscar uma faca de cozinha e espetou a ponta no peito do militar. O GNR foi de imediato transportado para o Hospital Santa Luzia de Elvas e encontra-se livre de perigo.

O agressor acabou por ser detido pelas autoridades no local. “Casos como estes são recorrentes e fazem parte do quotidiano das forças de segurança”, lamenta a Associação dos Profissionais da Guarda (APG/GNR).

“É por este motivo que não se entende que nunca haja reconhecimento, que o poder político não legisle sobre o risco e desgaste rápido que implicam as funções de segurança pública, mesmo quando há perdas de vidas, como lamentavelmente já sucedeu demasiadas vezes”, acrescenta a mesma fonte.

“A APG/GNR tal como tem vindo a defender desde sempre, não deixará de pugnar pela criação de um subsídio de risco e pelo reconhecimento da profissão com sendo de desgaste rápido”, refere ainda.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo