País

País. Inicia hoje campanha da GNR e PSP sobre uso de cinto, “cadeirinha” e capacete

(c) Direitos reservados

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária, GNR e PSP iniciam na terça-feira uma campanha para alertar os condutores e todos os ocupantes dos veículos para a importância do uso do cinto de segurança, cadeirinhas para crianças e capacetes
AAutoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), GNR e PSP iniciam na terça-feira uma campanha para alertar os condutores e todos os ocupantes dos veículos para a importância do uso do cinto de segurança, cadeirinhas para crianças e capacetes.

Num comunicado conjunto hoje divulgado, as três entidades avançam que a campanha, denominada “Cinto-me vivo, vai decorrer até 14 de setembro em todo o país e insere-se no Plano Nacional de Fiscalização de 2020.

Segundo a ANSR, PSP e GNR, a campanha tem como objetivo alertar os condutores e todos os ocupantes dos veículos para “a importância de utilizarem sempre” os dispositivos de segurança, designadamente cinto de segurança, cadeirinhas para crianças e capacete.

A campanha vai integrar uma componente de sensibilização e operações de fiscalização, com especial incidência no cumprimento das regras do código da estrada e legislação complementar relativas à utilização de dispositivos de segurança.

A ANSR, PSP e GNR destacam “a importância dos dispositivos de segurança” numa altura em que muitos portugueses retomam as deslocações para o trabalho e para a escola.

As três entidades realçam que, num embate frontal a 50 quilómetros por hora, uma criança pode sofrer lesões equivalentes a uma queda de um terceiro andar, destacando, por isso, a utilização “sempre uma cadeirinha homologada e adaptada ao tamanho e peso da criança, devidamente instalada”.

“Num embate a 50 km/h, uma pessoa sem cinto é projetada exercendo uma força de duas toneladas, podendo causar trauma grave nos ocupantes do veículo, em particular os da frente. Utilize sempre o cinto de segurança, em todos os lugares do veículo, e em todos os percursos, mesmo nos de curta distância”, sublinham igualmente.

A ANSR, PSP e GNR frisam também que o capacete devidamente ajustado e apertado reduz em 40% o risco de morte em caso de acidente, devendo ser usado o modelo aprovado devidamente ajustado e apertado.

0 Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária (PENSE 2020), prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização, em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo