Saúde

Covid-19, “O vírus que não ataca nos shoppings mas mata na loja de rua”

(c) Direitos reservados

De um autor desconhecido, uma análise que muitos leitores do V reconhecem: A Covid-19 pela ótica de um Português:

1. Não ataca nos shoppings, apesar da grande concentração de pessoas, mas se fores à loja da esquina, tens de esperar à porta porque só pode entrar um cliente de cada vez, com máscara e mãos desinfetadas;
2. O vírus observa a tua relação com o álcool: se comprares vinho, cerveja ou bebidas brancas depois das 20 horas, vais ficar muito susceptível ao contágio. Mas se passares a tarde numa esplanada, a emborcar imperiais com 9 amigos, até ficares incontinente, ele não ataca;
3. É incrível como ele prolifera em pesos, aparelhos de ginástica, bolas de basquete e futebol, mas não sobrevive em cestos e carrinhos do supermercado, nem nas moedas dos trocos de quem te cobra as compras e os impostos;
4. Se fores à praia, não corras o risco de te passar por agua doce no final do banho. A torneira está minada de vírus. Já os parquímetros são totalmente imunes;
5. O vírus é tão seletivo, que só ataca nos serviços públicos, obrigando-nos a marcar com antecedência, cada vez que necessitamos de resolver um assunto. E ainda assim, o atendimento tem que ser à porta fechada. Já os hipermercados estão excluídos do público alvo do vírus;
6. Começou por ir à escola mas é tão inteligente que se graduou em seis meses. Com o curso terminado, as crianças podem ir à vontade que o vírus já não aparece por lá;
7. A profissão mais segura em Portugal é a de político. O vírus contaminou, até agora, médicos, enfermeiros, bombeiros, canalizadores, pedreiros, camionistas, contabilistas, funcionários das finanças, reformados, desempregados e nem as prostitutas escaparam à sua fúria. Políticos, nem um;
8. Se viajares no teu carro, leva máscara e desinfeta bem as mãos porque lá dentro o vírus é muito perigoso. Nos transportes públicos não há problema. O vírus não atua lá;
9. A sua virulência aumenta depois das 23 horas, por isso os restaurantes e cafés têm que fechar cedo para evitar bombardeamentos noturnos;
10. O vírus desaparece quando há grandes grupos de pessoas com panfletos e bandeirolas, mas se fores ao cinema, a uma romaria na aldeia ou a um evento desportivo, ele atacará com toda a sua fúria;
11. É muito bom em matemática. Se houver um grupo de até dez pessoas, ele fica inativo. Se forem 11 pessoas, morrem todos (exceto se levarem panfletos e bandeirolas);
12. É especialmente contagioso nos serviços de finanças e da segurança social. Já os gabinetes de contabilidade estão esterilizados.
Este vírus é, sem dúvida, o grande mistério do século XXI que nem a física quântica consegue explicar…”

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo