Vila Verde

Vila Verde. Centro Social Vale do Homem inaugura Casa da Alegria em Lanhas

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Ontem no dia mundial da doença de Alzheimer, pelas 17h00, a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, presidiu à cerimónia oficial da inauguração do novo lar de idosos especializado para a doença de Alzheimer e outras Demências, do CSVH – A Casa da Alegria, sito em Lanhas, Vila Verde.
A cerimónia contou ainda, com a presença de várias instituições e entidades, tais como: os Presidentes dos Municípios de Vila Verde, Amares e Terras de Bouro, António Vilela, Manuel Moreira e Manuel Tibo; o Diretor do Centro Distrital da Segurança Social de Braga, João Ferreira, a Diretora do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Cláudia Alves, o Presidente da ATHACA (Associação das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave), Mota Alves e o Presidente da Direção do CSVH, Jorge Pereira.
A Sr.ª Ministra foi recebida com a largada de balões, pelos utentes da Casa da Alegria, com a frase “Quero é Viver”.

No ato da bênção e inauguração, o Arcipreste e capelão Pe. Carlos Lopes procedeu à bênção da Casa da Alegria, seguido pelo descerrar da lápide.
A cerimónia decorreu com a visita ao exterior das instalações, seguindo-se as intervenções, usando da palavra o Presidente da Direção, o Presidente do Município de Vila Verde e a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, valorizou o papel das instituições sociais na Economia Social, realçando o momento especial para o País que, hoje se celebra com a inauguração da Casa da Alegria “um exemplo” diz. Deixou três mensagens para este momento que atravessamos “Missão, Rede e Resposta”, três palavras que “caracterizam esta instituição, este equipamento –
A Casa da Alegria”. Na sua intervenção mencionou ainda a abertura do Aviso PARES 3.0 para esta semana. Findou a sua intervenção com a mensagem de que “é possível encontrar novas e inovadoras respostas sociais para o envelhecimento, exemplo disso a Casa da Algeria”.

Este equipamento significou um investimento de cerca de 2.300.000,00 euros, financiado pelo Banco Montepio Geral, que nesta cerimónia contou, também, com a presença do Dr. Nuno Mota Pinto – Administrador Executivo da Caixa Económica do Montepio.
Com capacidade para 31 utentes em Lar e 19 em Centro de Dia, o lar atingiu a sua lotação máxima, poucas semanas depois da abertura, resultante da premente carência social que se deteta em estruturas versadas para esta problemática.

A Casa da Alegria investe nas terapias não-farmacológicas, destacando-se o Jardim Terapêutico e Sensorial, que desperta os 5 sentidos aliado às terapias diferenciadoras e inovadoras, a saber: musicoterapia, dançaterapia, neuro-reabilitação, hidromassagem com aromaterapia e cromoterapia, infoterapia, dollyterapia (ou terapia com bonecas), roboterapia, terapia assistida por animais, terapias pelas novas tecnologias, sala multissensorial. Estas e muitas outras áreas de intervenção do cérebro resultam num modelo replicável e aberto à comunidade (assim que a questão pandémica assim o permita) – o Centro de Estimulação da Mente.
A Casa da Alegria já foi premiada três vezes a nível nacional: Prémio BPI e fundação LA CAIXA – BPI Sénior 2019 e BPI Rural 2019, e prémio Caixa Social 2020.

Concomitantemente, o Centro Social do Vale do Homem vem a apostar na Inovação e Empreendedorismo Social e, como tal, a presença do Engº Nuno Cardoso, Presidente da HAC.ORA Portugal, e Drª Helena Loureiro, Diretora da Região Norte do Portugal Inovação Social são prova deste crescimento.

Comentários

topo