Vila Verde

Vila Verde. Centro Social Vale do Homem inaugura Casa da Alegria em Lanhas

(c) Direitos reservados

Ontem no dia mundial da doença de Alzheimer, pelas 17h00, a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, presidiu à cerimónia oficial da inauguração do novo lar de idosos especializado para a doença de Alzheimer e outras Demências, do CSVH – A Casa da Alegria, sito em Lanhas, Vila Verde.
A cerimónia contou ainda, com a presença de várias instituições e entidades, tais como: os Presidentes dos Municípios de Vila Verde, Amares e Terras de Bouro, António Vilela, Manuel Moreira e Manuel Tibo; o Diretor do Centro Distrital da Segurança Social de Braga, João Ferreira, a Diretora do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Cláudia Alves, o Presidente da ATHACA (Associação das Terras Altas do Homem, Cávado e Ave), Mota Alves e o Presidente da Direção do CSVH, Jorge Pereira.
A Sr.ª Ministra foi recebida com a largada de balões, pelos utentes da Casa da Alegria, com a frase “Quero é Viver”.

No ato da bênção e inauguração, o Arcipreste e capelão Pe. Carlos Lopes procedeu à bênção da Casa da Alegria, seguido pelo descerrar da lápide.
A cerimónia decorreu com a visita ao exterior das instalações, seguindo-se as intervenções, usando da palavra o Presidente da Direção, o Presidente do Município de Vila Verde e a Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A Ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, valorizou o papel das instituições sociais na Economia Social, realçando o momento especial para o País que, hoje se celebra com a inauguração da Casa da Alegria “um exemplo” diz. Deixou três mensagens para este momento que atravessamos “Missão, Rede e Resposta”, três palavras que “caracterizam esta instituição, este equipamento –
A Casa da Alegria”. Na sua intervenção mencionou ainda a abertura do Aviso PARES 3.0 para esta semana. Findou a sua intervenção com a mensagem de que “é possível encontrar novas e inovadoras respostas sociais para o envelhecimento, exemplo disso a Casa da Algeria”.

Este equipamento significou um investimento de cerca de 2.300.000,00 euros, financiado pelo Banco Montepio Geral, que nesta cerimónia contou, também, com a presença do Dr. Nuno Mota Pinto – Administrador Executivo da Caixa Económica do Montepio.
Com capacidade para 31 utentes em Lar e 19 em Centro de Dia, o lar atingiu a sua lotação máxima, poucas semanas depois da abertura, resultante da premente carência social que se deteta em estruturas versadas para esta problemática.

A Casa da Alegria investe nas terapias não-farmacológicas, destacando-se o Jardim Terapêutico e Sensorial, que desperta os 5 sentidos aliado às terapias diferenciadoras e inovadoras, a saber: musicoterapia, dançaterapia, neuro-reabilitação, hidromassagem com aromaterapia e cromoterapia, infoterapia, dollyterapia (ou terapia com bonecas), roboterapia, terapia assistida por animais, terapias pelas novas tecnologias, sala multissensorial. Estas e muitas outras áreas de intervenção do cérebro resultam num modelo replicável e aberto à comunidade (assim que a questão pandémica assim o permita) – o Centro de Estimulação da Mente.
A Casa da Alegria já foi premiada três vezes a nível nacional: Prémio BPI e fundação LA CAIXA – BPI Sénior 2019 e BPI Rural 2019, e prémio Caixa Social 2020.

Concomitantemente, o Centro Social do Vale do Homem vem a apostar na Inovação e Empreendedorismo Social e, como tal, a presença do Engº Nuno Cardoso, Presidente da HAC.ORA Portugal, e Drª Helena Loureiro, Diretora da Região Norte do Portugal Inovação Social são prova deste crescimento.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo