Braga

Conheça o projeto Experiência Rosa: Uma carta de amor a Braga

(c) Direitos reservados

De inspiração sociocultural, o projeto EXPERIÊNCIA ROSA nasce da convergência do percurso ocupacional de Carlos Daniel Marinho , psicólogo clínico, criador artístico, e diretor do espaço CresSendo, em Braga, com o de Kamila Vieira, empreendedora e doceira artesanal, diretora da empresa Kamila Vieira Brigadeiros. Este trabalho tem como objetivo global exprimir formas de ressignificação positiva da crise decorrente da COVID-19, e pretende sensibilizar para a importância e gratuitidade das pequenas ações quotidianas na manutenção de uma boa rede de suporte comunitário, bem como animar um espírito de maior otimismo, esperança e resiliência em tempos de crise. “Para sobrevivermos à pandemia devemos emergir mais unidos do que nunca, e precisamos de uma reeducação afetiva pautada por maior empenho empático e solidário. Se o cuidado humano é já, por natureza, imprescindível ao nosso bom funcionamento, é-o agora ainda mais, e urgente, face à agudização da vulnerabilidade psicológica. Cuidar está ao alcance de todos. Todos nós nos podemos elevar uns aos outros, e a diferença faz-se através de pequenos gestos simples”, explica Carlos Marinho.

Para o efeito, o projeto destacou alguns dos mais ativos agentes da arte, da cultura e do humanitarismo em Braga, aos quais se ofereceu uma gift box artesanal como gesto de reconhecimento e gratidão pelo trabalho prestado, ao longo dos anos, à comunidade bracarense. Entre outros, no número destes agentes contam-se representantes da Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva, do Theatro Circo, do Museu dos Biscaínhos, do Palácio do Raio, da Associação SYnergia, e da Liga Portuguesa contra o Cancro. “A EXPERIÊNCIA ROSA é a nossa carta de amor a Braga. Estamos muito satisfeitos com a reciprocidade destas entidades, o que só inspira a prossecução do nosso trabalho”, remata o criador. Nesta gift box, além de um caixa de brigadeiros finos da confeção de Kamila Vieira, encontra-se um CD composto de quatro músicas da interpretação e edição de Carlos Marinho, e projeto gráfico assinado pela designer Maria Aurélia Faria, diretora da Casa Mauré. E ainda um envelope contendo algumas reflexões sobre a literacia emocional, tão lacunar no entendimento e gestão otimais da afetividade pós-moderna. Para o psicólogo “A iliteracia afetiva, ou a dificuldade em gerir os canais, mecanismos e dinâmicas da nossa orientação positiva para o Outro, é um dos problemas mais sérios que a atualidade oferece à formação de cada cidadão. Quando a manifestação de afeto é demasiado subtil, a tendência imediata é duvidar da sua existência, e sem uma adesão emocional aos outros não há crescimento saudável. A EXPERIÊNCIA ROSA vem lembrar a importância da expressão afetiva. É uma tentativa de reconexão com os demais, um incentivo à abertura ao mundo cor-de-rosa da imprescindibilidade do Outro”.

O projeto foi sendo divulgado nas redes sociais durante os meses de agosto e setembro, e poderá agora ser consultado através da página de Facebook ‘@AExperienciaRosa’ e da página de Instagram ‘@a_experiencia_rosa’. A iniciativa arrancou oficialmente no dia 7 de setembro, com o lançamento do videoclip da música ‘La Vie en Rose’, com conceito e edição de Carlos Marinho.

Enquanto manifestação artística, a EXPERIÊNCIA ROSA apoia ainda o manifesto ‘Unidos pelo Presente e Futuro da Cultura em Portugal’, em reconhecimento dos agentes da arte e da cultura que têm vindo a trabalhar de forma intermitente, sem qualquer tipo de proteção social, levando a que na atualidade vivam situações de dramática precariedade. Como lembra o mentor do projeto “a importância destes setores na nossa vida é inegável, e todos nós podemos ajudar, visibilizando, comprando e recomendando o trabalho de artistas”. Acreditando na importância de todas as formas de visibilidade passíveis de concorrer para o sucesso deste objetivo, a EXPERIÊNCIA ROSA desafiou cada um/a dos seus destinatários/as a criarem um post nas redes sociais, para divulgarem o projeto, e esperançosamente inspirarem seguidores a replicarem gestos de dádiva semelhantes. Os posts serão revelados nas redes sociais do projeto, à medida que as entidades forem recebendo as gift boxes. “Talvez possamos levar algum tempo a reencontrar a segurança que outrora conhecíamos, ou julgávamos conhecer” remata Carlos Marinho “A nossa sobrevivência depende, mais do que nunca, deste empenho solidário. Juntos seremos mais fortes”.

Carlos Marinho é diretor do espaço CresSendo, em Braga, um núcleo de serviços dedicados à otimização do crescimento pessoal e comunitário, sediado em pleno centro histórico. É aqui que, como psicólogo clínico e da saúde, dá consultas a crianças, adolescentes e adultos, concetualiza, planifica e dinamiza programas de desenvolvimento interpessoal, e conduz palestras e ações de sensibilização para a comunidade, também em parceria com outras instituições. A par da formação académica em Psicologia, Carlos Marinho foi investindo, ao longo dos anos, em diversos campos do domínio artístico (e.g., representação dramática, dança, música, artes plásticas e literatura), passando também a definir-se como criador artístico freelancer, e a criar eventos de interesse artístico-cultural em Braga (e.g., sessões de declamação de poesia, workshops de dança, concertos de música, oficinas de expressão plástica, feiras artesanais, animação de um clube de leitura infantil e de um grupo literário para adultos).

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo