Guimarães

Câmara considera ter sido passada uma imagem destrutiva de Guimarães

(c) Direitos reservados

No final da Reunião de Câmara, realizada esta segunda-feira, 12 de outubro, Domingos Bragança justificou à Imprensa a decisão de suspender a realização de eventos culturais nos equipamentos do Município até à realização da reunião da Proteção Civil, que ocorrerá amanhã, terça-feira, 13 de outubro. Segundo o Edil, a decisão decorre do facto de terem participado cerca de 1000 pessoas num evento ocorrido no Multiusos de Guimarães, na noite do passado sábado, que “deu um sinal que vem contradizer todo o recente discurso da autarquia no que diz respeito aos cuidados a ter com a prevenção da Covid-19”.

Domingos Bragança tomou a decisão de suspender temporariamente a atividade cultural do Município até que sejam analisadas todas as questões passíveis de serem lesivas para o esforço que tem vindo a ser colocado por todas as entidades no combate à pandemia, como é o caso das autoridades de saúde como o ACES do Alto e Ave e o Hospital Senhora da Oliveira, das forças de segurança e dos serviços municipais. Ainda que o evento tenha cumprido todas as normas de segurança estipuladas pelas DGS, o Presidente da Câmara considerou que, perante os casos de Covid-19 que se têm registado no Concelho de Guimarães, o mais avisado será levar o assunto a sede de reunião da Proteção Civil, onde serão ouvidos os membros da subcomissão. “Quero ouvir as senhoras delegadas de saúde sobre o assunto, bem como os responsáveis das restantes entidades, pois a situação que vivemos no Concelho de Guimarães poderá obrigar à adoção de medidas mais restritivas”, disse. Domingos Bragança disse ainda que todo o esforço de comunicação do Município na prevenção da Covid-19 não pode ser comprometido por eventos culturais, ou outros, passíveis de reunirem um grande número de pessoas. Mais do que o cumprimento das regras, “está em causa a perceção de menos exigência nas regras de proteção da pandemia que passamos para todos os nossos munícipes”, frisou.

A posição do Presidente da Câmara, perante o aumento de casos de Covid-19 no Concelho de Guimarães, tem sido de prudência máxima, como é exemplo o aconselhamento de uso de máscara em espaço público, medida, até ao momento, não adotada pela DGS. Por esse facto, o Edil considera que não deve ser vista como estranha esta decisão com base no argumento da legalidade, pois essa não é a premissa da sua atuação neste caso. “Não facilitarei na defesa do bem-estar e da saúde dos munícipes que represento”, concluiu.
Domingos Bragança anunciou ainda a instalação de um Supercomputador da rede da Fundação de Ciência e Tecnologia (FCT) no AvePark que, segundo o Presidente da Câmara, vem conferir ao Parque de Ciência e Tecnologia um papel importante no Norte do País. “Esta decisão foi tomada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, beneficiando do contributo importante do Professor António Cunha, e vem possibilitar às instituições e empresas a utilização de um supercomputador que estará ligado à rede europeia através de Barcelona. O projeto beneficiará de fundos europeus e terá as contrapartidas nacionais repartidas pelo governo central e pela Câmara Municipal”, informou.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo