Educação

ATEP critica Ministério da Educação por falta de planeamento do novo ano letivo

(c) Direitos reservados
Partilhe esta notícia!

Associação Todos pela Escola Pública critica Ministério da Educação por falta de estratégia e tardia disponibilização de meios às escolas. Encerramento de estabelecimentos de ensino por falta de funcionários não docentes, aglomerações junto aos portões e elevado número de alunos por turma são prova da incapacidade da tutela. Na Portela, concelho de Loures, há mais de 30 turmas sem professores, um mês após o início do ano letivo.

A ATEP – Associação Todos pela Escola Pública – criticou o Ministério da Educação pela falta de estratégia e planeamento na preparação do novo ano letivo. A tardia ou ausência de disponibilização de meios e recursos às escolas é outra das grandes falhas apontadas pela associação.

André Julião, presidente da ATEP, critica a tardia contratação de auxiliares de ação educativa, “essenciais para tarefas como a separação das entradas nas escolas, o que evitaria a acumulação de alunos e encarregados de educação nos portões, como se viu um pouco por todo o país, mal começou o ano letivo.” E que levou, inclusive, ao encerramento de alguns estabelecimentos de ensino. “Fará sentido que um funcionário com Covid-19 leve ao encerramento de toda uma escola, deixando centenas de alunos em casa? Tudo porque não existe outro funcionário para o seu lugar?”, questiona o responsável da ATEP.

“Os assistentes operacionais são essenciais para controlar as entradas e saídas e os alunos nos intervalos. Quanto menos profissionais houver a controlar, maior a probabilidade de contágios entre alunos. É uma bola de neve. Estes profissionais são fundamentais e têm de ser valorizados e adequadamente renumerados. Caso contrários, as escolas não funcionam”, aponta ainda André Julião.

Sobre a ATEP

A Associação Todos pela Escola Pública – ATEP – congrega todos os intervenientes da comunidade escolar e educativa – alunos, professores, funcionários não docentes e encarregados de educação – e tem por objetivo principal contribuir para a defesa e o reforço da Escola Pública enquanto garante maior e constitucional da universalidade do ensino em Portugal. A ATEP tem como objetivo a proteção e fortalecimento da Escola Pública, tendo sempre como base os princípios da igualdade, da equidade, da acessibilidade, da cooperação e da construção comum. Princípios norteadores de uma escola cada vez mais abrangente e que não deixe ninguém para trás.

Saiba mais aqui

Comentários

topo