Educação

ATEP critica Ministério da Educação por falta de planeamento do novo ano letivo

(c) Direitos reservados

Associação Todos pela Escola Pública critica Ministério da Educação por falta de estratégia e tardia disponibilização de meios às escolas. Encerramento de estabelecimentos de ensino por falta de funcionários não docentes, aglomerações junto aos portões e elevado número de alunos por turma são prova da incapacidade da tutela. Na Portela, concelho de Loures, há mais de 30 turmas sem professores, um mês após o início do ano letivo.

A ATEP – Associação Todos pela Escola Pública – criticou o Ministério da Educação pela falta de estratégia e planeamento na preparação do novo ano letivo. A tardia ou ausência de disponibilização de meios e recursos às escolas é outra das grandes falhas apontadas pela associação.

André Julião, presidente da ATEP, critica a tardia contratação de auxiliares de ação educativa, “essenciais para tarefas como a separação das entradas nas escolas, o que evitaria a acumulação de alunos e encarregados de educação nos portões, como se viu um pouco por todo o país, mal começou o ano letivo.” E que levou, inclusive, ao encerramento de alguns estabelecimentos de ensino. “Fará sentido que um funcionário com Covid-19 leve ao encerramento de toda uma escola, deixando centenas de alunos em casa? Tudo porque não existe outro funcionário para o seu lugar?”, questiona o responsável da ATEP.

“Os assistentes operacionais são essenciais para controlar as entradas e saídas e os alunos nos intervalos. Quanto menos profissionais houver a controlar, maior a probabilidade de contágios entre alunos. É uma bola de neve. Estes profissionais são fundamentais e têm de ser valorizados e adequadamente renumerados. Caso contrários, as escolas não funcionam”, aponta ainda André Julião.

Sobre a ATEP

A Associação Todos pela Escola Pública – ATEP – congrega todos os intervenientes da comunidade escolar e educativa – alunos, professores, funcionários não docentes e encarregados de educação – e tem por objetivo principal contribuir para a defesa e o reforço da Escola Pública enquanto garante maior e constitucional da universalidade do ensino em Portugal. A ATEP tem como objetivo a proteção e fortalecimento da Escola Pública, tendo sempre como base os princípios da igualdade, da equidade, da acessibilidade, da cooperação e da construção comum. Princípios norteadores de uma escola cada vez mais abrangente e que não deixe ninguém para trás.

Saiba mais aqui

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo